Um projeto piloto de pagamento de tarifas da CPTM e do Metrô por meio de QR Code -Código Bidimensional, foi iniciado nesta terça-feira, 3 de setembro. A ação irá durar 45 dias em sete estações da CPTM e do Metrô.

A parceria é entre a secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo (STM) com o Consórcio Metropolitano de Transportes (CMT) e não tem custo para o governo estadual.

Estações participantes

Na CPTM, haverá leitores de QR Code em catracas das estações Autódromo (Linha 9-Esmeralda), Tamanduateí (Linha 10-Turquesa), Dom Bosco (Linha 11-Coral) e Aeroporto-Guarulhos (Linha 13-Jade).

Reprodução: CPTM

No Metrô de São Paulo, o teste estará disponível nas estações São Judas (Linha 1-Azul), Paraíso (Linha 1-Azul e 2-Verde) e Pedro II (Linha 3-Vermelha).

Ao todo são dois bloqueios por cada estação, segundo informou a STM.

Venda

A STM informou que serão vendidos bilhetes unitários com validade de uma semana e para uso apenas no Metrô e na CPTM (não valerá para integração com outros modais). A compra pode ser feita com um cartão de crédito pelo celular, por meio do aplicativo VouD, que pode ser baixado em lojas virtuais, tanto para Android ou iOS.

pagamento via QR Code
Foto: Thiago – Plamurb

Depois é só abrir o QR Code na tela do celular e passar nos bloqueios com validador nas estações que participam do projeto-piloto.

Também é possível fazer a compra do código com cartão de débito nas máquinas de autoatendimento disponíveis nas estações participantes. Após adquirir o QR Code, basta passar o código impresso nos bloqueios com leitores instalados.

Os QR Codes podem ainda ser adquiridos nas bilheterias das estações mencionadas com o pagamento em dinheiro. A STM informou que nos primeiros 15 dias as vendas ocorrerão das 9h às 16h e posteriormente durante todo o horário de operação. Com o código em mãos, basta passar o bilhete impresso nos bloqueios específicos em uma das sete estações citadas.

Pagamento da passagem via QR Code (Vídeo: Thiago – Plamurb)

Os bilhetes com QR Code serão válidos até 18 de outubro durante o período de testes da tecnologia, mas a recomendação é que sejam utilizados preferencialmente em 72 horas após a compra para evitar que a impressão do código sofra danos.

Palavras do secretário Alexandre Baldy

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, destacou que ”inovações tecnológicas são imprescindíveis hoje para termos eficiência na gestão pública e melhores soluções de mobilidade. A tecnologia pode e deve ser a nossa aliada para racionalizar custos, tornar o sistema de pagamento mais seguro e oferecer mais qualidade e agilidade aos passageiros”.

pagamento via QR Code
Foto: Diário dos Trilhos

A ideia da STM é que o número de pagamento com QR Code, futuramente, substitua a maior parte dos pagamentos com bilhete magnético unitário, o chamado Edmonson. Na CPTM, em média, 25% dos passageiros pagantes utilizam esse tipo de bilhete. No Metrô de São Paulo, o percentual é de 15%.

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Sou profissional e estudante de enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.