Cerca de 21.847 bilhetes foram vendidos através do projeto-piloto do uso do QR Code para acesso às estações da CPTM e do Metrô. A informação foi dada pela Secretária dos Transportes Metropolitanos de São Paulo (STM).

91% dos passageiros optaram por pagar a tarifa na bilheteria e receber o bilhete QR Code impresso, nos mesmos moldes do tradiconal bilhete Edmonson. Outros 6,1% dos pagamentos foram feitos por meio das máquinas de autoatendimento da Autopass, empresa que forncece o sistema sem custos ao governo estadual. Apenas 3% dos usuários decidiram adquirir a passagem por meio do aplicativo VouD, disponibilizado pela empresa de tecnologia para Android e IOS.

Isso evidenciou a pouca familiaridade dos passageiros com esse recurso.

Nas bilheterias do Metrô de São Paulo e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) o pagamento é aceito apenas em dinheiro, por outro lado, as máquinas de autoatendimento e o aplicativo VouD cobram por meio de cartão, o que é uma tendência mundial, mas que, pelo menos por enquanto, parece ter baixa adesão em São Paulo.

Lembrando que os cartões BOM e o Bilhete Único podem ser recarregados mediante cartões.

Isso tudo ainda deve ser falta de costume no uso da tecnologia, que vai servir para dar diretrizes a gestão estadual.

Estações participantes

Na CPTM, os leitores de QR Code estão disponíveis em catracas das estações Autódromo (Linha 9-Esmeralda), Tamanduateí (Linha 10-Turquesa), Dom Bosco (Linha 11-Coral) e Aeroporto-Guarulhos (Linha 13-Jade).

No Metrô de São Paulo, o teste estará disponível nas estações São Judas (Linha 1-Azul), Paraíso (Linha 1-Azul e 2-Verde) e Pedro II (Linha 3-Vermelha).

Ao todo são dois bloqueios por cada estação, segundo informou a STM.

Venda

A STM informou que serão vendidos bilhetes unitários com validade de uma semana e para uso apenas no Metrô e na CPTM (não valerá para integração com outros modais). A compra pode ser feita com um cartão de crédito pelo celular, por meio do aplicativo VouD, que pode ser baixado em lojas virtuais, tanto para Android ou iOS.

Os bilhetes com QR Code serão válidos até 18 de outubro durante o período de testes da tecnologia, mas a recomendação é que sejam utilizados preferencialmente em 72 horas após a compra para evitar que a impressão do código sofra danos.

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Sou profissional e estudante de enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.