julho 12, 2020

O Metrô de São Paulo assinou nesta segunda-feira, 13 de janeiro, o contrato para a retomada das obras civis da Linha 17-Ouro. Os trabalhos serão feitos pela Constran e o Metrô vai discutir com a empresa o cronograma dos trabalhos. Além da conclusão da via, que está com 86% de execução, também caberá a Constran o acabamento do Pátio Água Espraiada e das estações Aeroporto de Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro e Chucri Zaidan.

A empresa venceu a licitação ao apresentar a melhor proposta, com o valor de R$ 494,8 milhões. Anteriormente, a construção da via era de responsabilidade do Consórcio Monotrilho Integração (CMI), cujo acordo foi rescindido unilateralmente pelo Metrô após constantes atrasos e redução no ritmo das obras. Os problemas também levaram a aplicação de multas pelo Metrô no valor de R$ 88 milhões.

A outra parte dos serviços que estava no escopo do contrato com o CMI – fabricação e fornecimento de trens e sistemas de sinalização – está na fase final da licitação.

Os demais serviços para a implantação da Linha 17-Ouro ocorrem normalmente com a construção das oito estações do trecho prioritário, que terá 7,7 km de extensão, ligando o aeroporto de Congonhas à estação Morumbi, da CPTM, conectando-se a rede de metrô na estação Campo Belo (Linha 5-Lilás).

Quando estiver concluída, sua operação e administração ficará sob responsabilidade do consórcio ViaMobilidade.

*Com informações da assessoria de imprensa do Metrô de São Paulo

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram

Ruan

Sou estudante, auxilar de redação e criador de conteúdo do Rede Noticiando. Games e música estão entre meus temas favoritos.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.