O governo do Estado de São Paulo não irá cancelar a concessão da linha 5-Lilás de metrô com a ViaMobilidade. O governo disse que a ação poderia levar a uma acusação de improbidade.

O Ministério Público Estadual enviou à Justiça uma ação civil pública pedindo que a linha lilás retorno ao controle estatal e deixe de ser operado pela ViaMobilidade, empresa do grupo CCR.

A ViaMobilidade possui como acionistas a construtora Andrade Gutierrez e a RuasInvest, do Grupo Ruas, que opera linhas de ônibus na capital paulista. Para a promotoria, as duas companhias possuem pendências com a Justiça, e desta forma, devem ser consideradas inabilitadas.

O Ministério Público pediu ainda o afastamento do secretários dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, por entender que ele teria sido omisso.

Baldy disse durante uma entrevista que a Procuradoria Geral do Estado legitimou o contrato e que cancelar ou suspender o contrato levaria a uma irregularidade.

“Se o Governo do Estado de São Paulo rescindisse ou suspendesse esse contrato, aí sim seria um processo apto a uma improbidade administrativa”, disse Baldy.

A Linha 5-Lilás de metrô, opera entre as estações Capão Redondo e Chácara Klabin. Sua administração, operação e manutenção é de responsabilidade da concessionária ViaMobilidade, que venceu uma concorrência para ficar a frente do ramal por 20 anos.

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Paulistano, empreendedor e pai. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana, transporte público e cinema. É o criador do site Rede Noticiando. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@noticiando.net
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.