julho 5, 2022

Nos seus 80 anos de história, o personagem acumula diversos momentos icônicos, que o transformam em um dos mais poderosos e carismáticos heróis da Marvel

O Capitão América é um dos heróis mais conhecidos do mundo. Ele era um cidadão norte-americano simples e se tornou cobaia de um experimento científico, onde recebeu a injeção de um soro que o transformou em supersoldado. O objetivo desse projeto era a criação de um exército de soldados poderosos para enfrentar a Alemanha e os seus aliados durante a Segunda Guerra Mundial, mas, com o assassinato do pesquisador que desenvolveu o líquido, sua fórmula foi perdida, e Steve Rogers se tornou o único a receber uma dose.

Criado inicialmente na década de 1940, o personagem capta o sentimento da sociedade norte-americana da época e se tornou um ícone popular. Os 80 anos de sua trajetória acumulam diversos momentos marcantes, os quais o consolidam como um dos mais poderosos personagens do universo da editora Marvel. Confira alguns dos maiores feitos do personagem.

Capitão América (1941) #1, de Joe Simon e Jack Kirby

Algo que os norte-americanos apreciam mais que pasta de amendoim é um bom patriota, e o Capitão América é um bom exemplo disso. Além de o nome remeter à sua nação, as cores e o design de seu traje especial também são inspirados pela bandeira estadunidense. Essas características fizeram com que o personagem se tornasse um grande sucesso logo em sua estreia, em março de 1941, durante a chamada Era de Ouro das HQs. No primeiro lançamento de seus quadrinhos, a edição nº 1 de Capitão América, o personagem aparece dando um soco em Hitler. Apesar disso, a história desse encontro não é contada, ficando restrita apenas à arte de capa da revista, enquanto as páginas se ocupam do combate de outros vilões inspirados no nazismo.

Os Vingadores (1963) #4: Capitão América Vive Novamente, de Stan Lee e Jack Kirby

Com o final da Segunda Guerra Mundial, o personagem precisou ser reinventado e adaptado a um novo cenário. A ideia encontrada foi, portanto, integrá-lo ao poderoso grupo dos Vingadores. Para ele continuar ativo e forte durante a década de 60, o personagem foi descongelado em uma das histórias dos Vingadores, e passou a participar do grupo de heróis, combatendo diversos tipos de inimigos diferentes.

Capitão América (1968) #332, de Mark Gruenwald e Tom Morgan

Uma comissão especial do governo norte-americano convoca o herói para fazer parte integral do governo federal. O Capitão América, então, reflete sobre as condições e o que isso significa para seu papel como herói. Sua conclusão é que ele não deve representar o governo, e sim o povo norte-americano, e que as condições propostas restringem sua liberdade e podem comprometer seus ideais, principalmente o sonho americano e seu dever com os cidadãos do país. Nesse momento, ele decide entregar seu manto e escudo, decidindo aposentar-se como Capitão América.

Capitão América vol. 3 (1998) #17, de Mark Wald e Andy Kubert

Nessa saga de Capitão América, ele enfrenta o vilão Caveira Vermelha, o qual foi capaz de recriar o mundo, segundo suas ideias. Uma das características desse universo é que Steve Rogers não possui os poderes de supersoldado, adquiridos pelo soro que o transformou, ficando em seu estado mais frágil conhecido. No entanto, mesmo sem sua condição física poderosa, o herói enfrenta o vilão, dizendo que ele pode retirar seus músculos e poderes, mas ele nunca será capaz de remover toda sua força. O Capitão América aparece magro e fraco, com seu uniforme frouxo ao corpo, e procede para espancar seu inimigo em um momento emocionante.

REDE NOTICIANDO

Siga nossas redes sociais e fique bem informado!

Receba em primeira mão nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram.

Rede Noticiando — A serviço da informação!

Flávia Viana

Jornalista e editora convidada do Rede Noticiando. Contribui com pautas sobre saúde, tecnologia, aplicativos e mobilidade urbana.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.