agosto 18, 2022

O drama teen, que foi sensação na semana de seu lançamento e tem aprovação de 100% no portal Rotten Tomatoes

Heartstopper foi lançada pela gigante dos streamings Netflix em abril de 2022, e, logo no final de semana de seu lançamento, a série teen foi destaque no top 10 da Netflix em mais de 60 países, de acordo com o portal Flixpatrol, que monitora serviços de streaming ao redor do mundo. 

O sucesso de crítica e público foi tão grande que ela conta com uma aprovação de 100% no portal Rotten Tomatoes, site agregador de críticas, com 50 avaliações positivas da crítica especializada, e nota 8.8 no IMDB (Internet Movie Database), site que funciona como base de dados e críticas cinematográficas.

A história gira em torno de Charlie (Joe Locke), um aluno assumidamente gay que, após um relacionamento conturbado, começa a se interessar por Nick Nelson (Kit Connor), o atleta popular da escola. Entre amor, amizades e bullying sofridos na adolescência, a série mostra a vida do grupo de amigos de Charlie, e como são as experiências e os sentimentos muito particulares de pessoas LGBTQIA+ nessa idade. 

A série britânica foi produzida pela See-Saw Films, e conta com um grande elenco, entre eles Joe Locke, Yasmin Finney, Sebastian Croft, William Gao, Corinna Brown e a consagrada atriz britânica, vencedora do Oscar, Olivia Colman.  A direção, por sua vez, foi do galês Euros Lyn, que dirigiu toda a primeira temporada.

Baseada na graphic novel homônima, de Alice Oseman, a série estreou com uma grande base de admiradores que já acompanhavam a história de amor dos jovens. A HQ já conta com 4 volumes, e tem sido muito aclamada desde seu lançamento. Foram lançados inicialmente 8 episódios, porém, após o grande sucesso, a Netflix já anunciou em seu Twitter oficial que a série foi renovada para mais duas temporadas, para deleite dos fãs.

Apesar de a série ter um tom mais suave e romântico, e tratar o romance dos jovens de uma forma muito mais otimista, ela retrata muito bem os dilemas que adolescentes LGBTQIA+ passam nessa fase da vida, seja por questões de autoconhecimento, isolamento social e até mesmo o bullying sofrido pelo protagonista, por ser assumidamente gay.

É sempre importante lembrar que jovens nessa fase da adolescência, muitas vezes, não sabem bem como lidar com as emoções e os sentimentos, e o papel da família e dos amigos é sempre fundamental para o suporte necessário, porém, às vezes, se faz necessário buscar ajuda de um profissional para auxiliar a lidar com essas questões. Hoje pode-se conseguir ajuda através da internet, com um psicólogo online, que, em muitos casos, vai ajudar o adolecente nos processos de autoconhecimento e aceitação pessoal, típicos dessa fase da vida.

REDE NOTICIANDO

Siga nossas redes sociais e fique bem informado!

Receba em primeira mão nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram.

Rede Noticiando — A serviço da informação!

Flávia Viana

Jornalista e editora convidada do Rede Noticiando. Contribui com pautas sobre saúde, tecnologia, aplicativos e mobilidade urbana.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.