17 agentes de segurança do Metrô de São Paulo envolvidos em uma confusão com moradores de rua na Estação Sé, foram afastados preventivamente.

O caso aconteceu na última segunda-feira, 02 de setembro, no centro da capital (veja o vídeo aqui). A estatal irá apurar se os funcionários cometeram abusos ou excessos.

Um vídeo que circulou nas redes sociais mostrou os seguranças do Metrô expulsando os moradores de rua das dependências da estação Sé, que abriga as linhas 1-Azul (Tucuruvi-Jabaquara) e 3-Vermelha (Itaquera-Barra Funda), no centro de São Paulo.

Os agentes fizeram uso da força ao utilizar cassetetes e golpes de mata-leão, em contra-partida, os moradores de rua revidaram, atirando paus e pedras em direção aos seguranças dentro da estação.

Os moradores de rua fugiram logo em seguida com a chegada da Polícia Militar no local.

“Esse foi um episódio triste, uma tragédia, infelizmente. Aonde houve agressão física entre os moradores de rua e os seguranças. E os seguranças e os moradores de rua. Eram mais de 20 moradores. Está sendo ainda apurado. Os seguranças foram afastados do trabalho normal para que ocorra a apuração imparcial”, disse nesta quarta-feira, 4 de setembro, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

Segundo o secretário, os moradores não são impedidos de ficar dentro da estação, desde que essa permanência não atrapalhe a circulação dos usuários do Metrô.

“Esses moradores, esses pedintes, eles são sempre acolhidos nas áreas não pagas nos períodos de chuva para se acomodarem sem ocorrerem maiores intervenções na operação de transporte”, falou Baldy.

Palavras do Metrô

Em nota a empresa deu à seguinte declaração:

“Na manhã desta segunda-feira (2), um grupo de moradores de rua que incomodavam passageiros na Estação Sé do Metrô foi orientado por agentes de segurança e convidado a se retirar do local. Alguns se recusaram e houve confronto entre as partes e depredação da estação. A ocorrência foi registrada na Delpom – Delegacia do Metropolitano de São Paulo. O Metrô está apurando a conduta dos empregados a fim de verificar se houve excesso”.

Palavras da SSP

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou por meio de nota a grande mídia que:

“O caso é investigado por meio de inquérito policial instaurado pela Delegacia do Metropolitano (Delpom), que está ouvindo os envolvidos para esclarecer os fatos.”

Palavras da Polícia Civil

Num comunicado, a SSP informou que a Polícia Civil apura o caso:

“A Polícia Civil investiga uma confusão entre agentes de segurança e moradores de rua, ocorrida na segunda-feira (2), por volta das 11h, na estação na estação Sé do Metrô, na região central da Capital.

Foi requisitada perícia ao local e o caso foi registrado como dano qualificado e abuso de autoridade na Delegacia do Metropolitano.”

A Polícia Militar também falou:

“A Polícia Militar esclarece que é característico em dias chuvosos os moradores de rua descerem para a estação do metrô para se abrigarem, e os seguranças retiram os mesmos para o local não causar tumulto no local. Quando este fato ocorre os moradores de rua se revoltam e partem para cima dos seguranças.

Normalmente a Polícia Militar só é acionada quando a confusão entre as partes já ocorreu. Houve acionamento desta ocorrência, a pedido dos funcionários do metrô que estavam sendo agredidos com pedaços de madeira e pedras pelos moradores de rua. Havia vários policiais pelo local devido a Operação Delegada existente na Praça da Sé.”

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Sou profissional e estudante de enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.