Os metroviários realizaram uma assembleia na última sexta-feira, 8 de novembro, na sede do sindicato onde rejeitaram uma proposta do Metrô de São Paulo e desta forma decidiram decretar estado de greve e fazer uma contraproposta a estatal. A iniciativa busca negociar e chegar a um acordo entre as partes.

O Sindicato dos Metroviários vem denunciando nos últimos dias, medidas adotas pela gestão do governador João Doria, que ao invés de contratar mais empregados, e preencher as funções que carecem de profissionais no momento, opta por aumentar a jornada de trabalho e sua carga horária, prejudicando inclusive, a prestação de serviço aos usuários.

Além do estado de greve, a categoria aprovou um plano de lutas. Veja abaixo:

  • Intensificar o uso do adesivo;
  • Qualquer alteração na jornada não deverá ser respeitada pela categoria;
  • Defesa das duas escalas do VPN/VPL e repúdio aos assediadores da área;
  • Realização de setoriais nas áreas;
  • Não fazer horas extras nem quebra-galhos.

Nesta terça-feira, 12 de novembro, uma nova assembleia será realizada pelo sindicato, para definir as ações que a categoria vai tomar daqui pra frente.

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Ruan

Sou estudante, auxilar de redação e criador de conteúdo do Rede Noticiando. Games e música estão entre meus temas favoritos.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.