outubro 20, 2020

O passageiro que precisa usar os trens do monotrilho da Linha 15-Prata enfrentam problemas pelo terceiro dia consecutivo.

Desde o dia 1° de janeiro de 2019, os trens operam com velocidade reduzida e maior tempo de parada nas estações por conta de uma falha em equipamento de via na região próxima da estação São Lucas.

O Metrô de São Paulo, responsável pela operação do monotrilho enviou um comunicado ao Rede Noticiando na noite da última quinta-feira, dia 2, informando que o problema iria persistir ao longo desta sexta, dia 3.

O comunicado diz o seguinte: “O Metrô lamenta o transtorno e informa que a falha em equipamento de via próximo à estação São Lucas demandará um tempo maior do que previsto anteriormente para os reparos. Nesta sexta-feira (3), a operação será mantida em dois trechos. O primeiro entre Vila Prudente e Camilo Haddad (onde o passageiro deve fazer a troca de trem) e o segundo de Camilo Haddad até Jardim Planalto. Todo o percurso será atendido das 04h40 à meia-noite por 10 ônibus articulados da operação PAESE”.

Equipamento com falha

Segundo informou uma fonte ao Rede Noticiando, a falha é no Finger Plate da via 2. Para quem não sabe, trata-se de uma estrutura metálica que existe a cada quatro vigas-trilho e que permita que exista a dilatação do concreto sem que isso afete os pneus dos trens do monotrilho. Em outras palavras, é uma espécie de “ponte” entre cada conjunto de viga-trilho da via. (foto ilustrativa abaixo).

Imagem ilustrativa que mostra onde está localizada a peça que danificou no monotrilho

O consórcio responsável pela manutenção chegou para arrumar, entretanto, não tinha peças sobressalentes. A expectativa é que até o final de semana, a peça chegue e assim o reparo possa ser feito e a circulação dos trens normalizada.

Oficialmente o Metrô de São Paulo não se comprometeu a dar prazos para sanar o problema.

Como está a operação?

A Linha 15-Prata funciona neste momento da seguinte forma: Trens operam entre Vila Prudente e Camilo Haddad, nesta estação é necessário desembarcar e trocar de trem para seguir viagem até Jardim Planalto – São Mateus.

Para prestar apoio aos passageiros, dez ônibus articulados da operação PAESE, sem cobrança de tarifa, realizam o mesmo trajeto da Linha 15-Prata.

Metrô diz que “desgaste natural” em parafusos é a causa do problema no monotrilho

O Metrô de São Paulo em nota ao Rede Noticiando informou que “Durante a operação de quarta-feira, 1° de dezembro, foram identificados alguns parafusos localizados nas proximidades de um equipamento de mudança de via que necessitavam de troca pelo desgaste natural. Como a fixação é em concreto, é necessário um tempo de “cura”. A decisão de não interromper a circulação de trens na quarta-feira, foi tomada para que os passageiros não ficassem totalmente sem o transporte público nos dias úteis e utilizar o final de semana para realização do reparo.”

Sindicato cita falta de funcionários como principal problema na Linha 15-Prata do monotrilho

O Sindicato dos metroviários de São Paulo publicou em seu site uma nota sobre o terceiro dia consecutivo de falha no monotrilho da Linha 15-Prata. O Comunicado diz o seguinte:

“Hoje (3/1), pelo terceiro dia consecutivo, os passageiros da Linha 15-Prata do monotrilho enfrentam transtornos. Desde quarta-feira (1º/1), os usuários passam por dificuldades por causa de falha em equipamento de via.

O Metrô, em suas redes sociais, informa que o reparo em equipamento de via perto da estação São Lucas vai demorar mais que o previsto e que ônibus atenderão o trajeto para aliviar os problemas.

A falta de funcionários é a razão principal dos problemas na L-15 e em todo o sistema. Há falta de funcionários para realizar a manutenção preventiva e também para administrar a situação provocada por falhas. Este é o resultado das políticas de privatização do setor, que precarizam e sucateiam o transporte público a fim de beneficiar empresários.

O Metrô precisa, urgentemente, contratar mais funcionários por meio de concursos públicos. Só assim será possível prestar um melhor serviço à população.”

Em caso de dúvidas ou informações complementares ligue para o Metrô de São Paulo no telefone 0800 770 7722 que atende diariamente, das 5h00 à meia-noite.

Leia também:

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram

Ruan

Sou estudante, auxilar de redação e criador de conteúdo do Rede Noticiando. Games e música estão entre meus temas favoritos.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.