Na última matéria sobre a reunião em que o Rede Noticiando participou, em conjunto com outros sites especializados em mobilidade urbana, com o Presidente da CPTM, Pedro Moro, e o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, os temas que serão abordados são a renovação da frota na Linha 10-Turquesa, manutenção e modernização das linhas, concessão de estações, extensão da Linha 9-Esmeralda até Varginha e transparência.

Durante o encontro, foram debatidos diversos temas à respeito da Companhia e do sistema como um todo. Acompanhe por tópicos como foi:

Renovação da frota na Linha 10-Turquesa

O presidente Pedro Moro admitiu que essa é a única linha com uma frota antiga, ainda que com ar-condicionado, mas que a CPTM já trabalha junto ao Governo de São Paulo, uma forma de renovar os trens.

Moro disse que o processo não será rápido, que um trem demora, depois de todo o processo licitatório, cerca de 18 meses para ser entregue, mas a intenção é renovar a frota, e por um fim a série 2100 nos trilhos da Companhia.

Manutenção de vias e modernização das linhas

“A CPTM teve problemas com duas licitações por conta de vários recursos administrativos e judiciais para finalizar a licitação de manutenção da via permanente. Estamos com dois contratos na fase final para a gente assinar. Por isso ela está sendo feita por pessoal próprio. A gente não tem uma quantidade grande de mão de obra pra fazer isso porque temos outros serviços de manutenção, mas estamos fazendo da melhor forma possível para minimizar qualquer risco, mas deve melhorar assim que esse contratos passarem a ser vigentes”, disse Moro.

“As obras de modernização vem se alongando desde 2007. Ela visava a renovação do material rodante (trem) e para isso foram comprados mais de 100 trens de lá para cá. Agora faltam poucos para serem entregues, além dos trens da linha 13 que devem chegar para testes no final do primeiro semestre. Sistema de sinalização e de energia também faziam parte desse pacote assim como a remodelação da via em algumas linhas. Parte desse pacote era financiado pelo Banco Mundial, porém, por vários motivos, dentre eles restrições orçamentárias, a gente não pode dar sequência a vários deles”, seguiu dizendo o presidente da CPTM.

“A gente apresentou um plano de investimento para os próximos 4 anos para o governo e um deles é a retomada de contratos em especial os de energia. A gente tem parte da rede aérea que já foi quase que toda finalizada, falta algo de via permanente, mas o foco é no sistema de energia para suprir para recapacitar as linhas a reduzir o intervalo e garantir a operação sem restrição. E a sinalização é um tema mais delicado porque depende de mais intervenção na linha. A gente precisa de uma programação de obras mais apurada para avançar nesse sentido”, concluiu Pedro Moro.

A respeito das obras de modernização, o presidente comentou sobre a interrupção dos serviços aos fins de semana.

“Por conta do horário de funcionamento, temos trens rodando até à uma hora da manhã e às 4h eles já estão circulando de novo. Isso acaba limitando qualquer intervenção e por isso precisamos utilizar os fins de semana para realizar obras de melhorias em que o impacto é menor. Embora tenha bastante gente que precisa usar o sistema aos sábados e domingos, nós procuramos avisar com antecedência para o passageiro poder se programar e minimizar esse problema.  Não há outra forma. A outra seria fechar uma linha como Paris fez, trabalhar dois anos e entregar a linha nova. No entanto, pelo tipo de utilização e pelo tamanho das linhas da CPTM isso é inviável”, justificou.

Concessão das estações

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, informou que estuda um modelo de concessão mais viável, se uma concessão de uma estação acaba tendo como responsabilidade a modernização de outras, e que a exploração do espaço será possível, como o espaço aéreo e outras alternativas.

”A inserção da estação na região será mais amigável para sua utilização. Elas são polos de integração e sua inserção é tão importante quanto a modernização”, informou Baldy.

As estações ao serem concedidas, devem contar com pelo menos uma creche.

Extensão da Linha 9-Esmeralda até Varginha

Considerada uma obra simples, a extensão da Linha 9-Esmeralda até Varginha foi interrompida por diversas vezes, por motivo de problemas burocráticos.

O presidente da CPTM explicou que ”em determinado momento ela foi incluída no PAC e passamos um tempo adequando o projeto para as demandas e regras do manual do programa federal. São oito contratos que contemplam a extensão, sete estão em execução e o último é o lote 2 que contempla a execução da estação Varginha, que devemos recebe as propostas no dia 24. Nosso horizonte é entregar o quanto antes possível, mas não vamos falar de prazos que não são factíveis”.

Nesta semana o presidente vistoriou as obras de extensão e os moradores da região ficam na expectativa do prolongamento do ramal que atualmente opera entre às estações Grajaú e Osasco.

Transparência

Uma das grandes dificuldades que os passageiros encontram na CPTM, além das falhas e a falta de acessibilidade em algumas estações, a falta de comunicação e transparência por parte da Companhia é uma questão que será resolvida.

O presidente admitiu que a CPTM é lenta nas respostas e disse como fará para esse cenário mudar. ”Vocês vieram conversar comigo antes de qualquer órgão de imprensa. O que eu disse a vocês é verdade. Estava conversando hoje com o Sérgio de Carvalho que é responsável pela comunicação da empresa. Dei essa missão a ele, de pensar num plano de comunicação mais realista. Eu entendo que essa comunicação (falha) continua sendo feita e precisamos entender o que pode melhorar”.

“A forma como é feita a comunicação tem me incomodado. É o caso por exemplo de um aviso quando há um problema “por falta de material rodante” (trens). Vocês sabem o que é isso, mas 90% dos passageiros não sabem. Queremos ter uma comunicação mais direta mas para isso precisamos ver como decodificar a informação técnica, que é necessária internamente, para ela ser mais clara para o público”, explicou Moro.

Moro comentou ainda sobre os canais de recebimento de denúncias e disse que o serviço têm que ser mais afetivo, e admite que atualmente, há uma enorme desconfiança por parte do público.

”Precisamos rever esse procedimento para que ele tenha uma ação mais direta para a gente voltar a ter crédito com os passageiros”, disse Pedro Moro.

Agradecimentos

O portal Rede Noticiando agradece o presidente Pedro Moro e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, pela recepção. Todas as perguntas foram respondidas, e o que chamou atenção foi o empenho da gestão em melhorar, não só a visibilidade da empresa, mas o serviço como um todo.

Baldy durante o encontro chegou a afirmar que no passado, a “CPTM não teve prioridade, e que agora tem”.  E esse é o desejo de todos nós, que o transporte tenha prioridade, melhorias significativas, e principalmente, que seja de qualidade.

Ainda sobre a reunião, leia também:

– Presidente da CPTM fala ao Rede Noticiando sobre os planos na Linha 13-Jade

– Pedro Moro fala sobre o combate ao comércio ambulante nas dependências da CPTM

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Sou profissional e estudante de enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.