outubro 16, 2018

Desde 2014, a linha 15-Prata operava somente entre as estações Oratório e Vila Prudente, e quando as estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União foram inauguradas, os passageiros viram uma alternativa as linhas da SPTrans que atuam na região e um meio mais rápido de se locomover, entretanto, as novas estações não tem ajudado tanto aqueles que esperavam ansiosos pelo prolongamento da linha.

As quatro estações recém inauguradas funcionam de segunda a sexta-feira, das 10h às 15h, ou seja, fora do horário de pico, os passageiros que precisam ir e retornar de suas atividades nos horários considerados de grande demanda, permanecem no quadro anterior, tendo apenas os ônibus municipais como opção, e pra quem mora na região, sabe que o trânsito na Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello nos horários de pico é terrível, já que os coletivos dividem o mesmo espaço que os carros.

A expectativa foi enorme por parte dos moradores da região onde ficam localizadas as novas estações, o Governo do Estado de São Paulo, ainda sob o comando do então governador Geraldo Alckmin, entregou as novas estações em 6 de abril deste ano, totalizando 5,5 km de extensão. Juntando as novas estações as mais antigas, a Linha 15-Prata atualmente tem 7,8 km de extensão.

Os passageiros tem nos questionado referente a existência de um prazo para que as novas estações tivessem seus horários de operação ampliados, desta forma nosso site procurou o Metrô e a resposta dada pela companhia você confere abaixo:

”A operação no formato visita assistida é padrão internacional para a abertura de novas estações de metrô e permite a apresentação da estação aos usuários, bem como a acomodação de equipamentos e sistemas”.

”O horário de operação desse trecho será ampliado, gradativamente, para o funcionamento pleno, das 4h40 à meia-noite, com cobrança de tarifa, como no restante da rede. Atualmente, a visita assistida acontece entre Oratório e Vila União, de segunda a sexta-feira das 10h às 15h”.

Infelizmente ainda não existe um prazo para que os passageiros possam de fato usufruir das novas estações e ter uma válvula de escape do trânsito pesado na região no horário de pico, como podemos ver, as novas paradas vão seguir em operação assistida, com horário reduzido e sem cobrança de tarifa.

Atraso nas novas estações

Conforme noticiamos, o Metrô de SP adiou a entrega de novas estações da Linha 15-Prata. A previsão anterior era de que a Estação Jardim Planalto fosse entregue este mês, entretanto o prazo foi alterado para o mês de agosto.

Três outras estações atrasadas não têm mais data de conclusão, são elas: Fazenda da Juta, Sapopemba e São Mateus. O Metrô diz ”ainda este ano” porém não define um prazo final para que as entregas sejam realizadas.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados

  1. Juliana Carneiro says:

    A roubalheira come solta, enquanto isso são os passageiros que sofrem.

    A zona leste, uma região tão populosa, mercê apenas dos ônibus, a Linha 3- Vermelha não atende todas as regiões, e esse tal de monotrilho, pelo visto vai muito mais anos, para que possa de fato nos atender.

  2. Nelson Carvalho says:

    Não sei porque insistem nesta porcaria de monotrilho. Pois a alegação de ser mais rápido e barato já caiu por terra há muito tempo. Infelizmente a Zona Leste, uma região carente e populosa, terá que conviver com este modal que não atende a demanda prevista. Por que não construíram um metro aéreo como existe na Zona Norte, da linha 1? Tudo muito obscuro quando se trata de PSDB.

  3. Nelson Carvalho says:

    Não sei porque insistem nesta porcaria de monotrilho. Pois a alegação de ser mais rápido e barato já caiu por terra há muito tempo. Infelizmente a Zona Leste, uma região carente e populosa, terá que conviver com este modal que não atende a demanda prevista. Por que não construíram um metro aéreo como existe na Zona Norte, da linha 1? Tudo muito obscuro quando se trata de PSDB.

  4. Os responsáveis por essa obra são incrivelmente incompetentes, envergonham o povo de São Paulo, o povo do Brasil.

    O que era pra ser referência de eficiência e rapidez na construção virou uma horrível piada, isso sem falar da linha 17… Deplorável.

    • Igor Roberto says:

      Você tem toda razão José, infelizmente no meio disso tudo quem sofre somos nós usuários.

      Você citou a linha 17- Ouro, ela que foi prometida pra Copa de 2014, passou à de 2018 e chegaremos a 2022 e se bobear ela ainda não vai estar concluída.

      É lastímavel a atual situação do transporte público, precarizado, e com uma péssima gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.