janeiro 20, 2022

Uma situação por vezes embaraçosa e constrangedora, a ginecomastia é um problema mais comum do que se imagina, mas de simples tratamento e fácil de identificar. Trata-se de um aumento benigno de uma ou das duas glândulas mamárias, e ocorre apenas em homens.

A palavra ginecomastia vem do grego e significa “mama feminina”. Sua ocorrência é mais comum durante a puberdade ou a andropausa, quando podem ocorrer alguns desequilíbrios hormonais, mas pode aparecer em qualquer idade durante a fase adulta, ou até mesmo em recém-nascidos.

Quais são os principais sinais da ginecomastia?

A ginecomastia pode se apresentar com alguns sinais. O mais evidente deles é o aumento das glândulas mamárias. Na maioria das vezes, as duas mamas apresentam aumento, mas pode ocorrer em apenas uma delas. Pode ocorrer dor local, dependendo do caso, inchaço ou sensibilidade. Estes casos podem ser um pouco mais graves que os assintomáticos.

Às vezes, pode surgir a dúvida sobre o aumento das mamas estar relacionado às glândulas ou à gordura. Quando ocorre a ginecomastia, o aumento ocorre sempre no tecido fibrograndular, ou seja, na própria glândula mamária, não necessariamente acompanhado de um aumento no tecido adiposo. Um aumento apenas do tecido adiposo pode estar relacionado a outros problemas de saúde, por isso é importante o acompanhamento de um profissional.

O que fazer ao se desconfiar que está com ginecomastia?

Ao sentir um aumento incomum de uma ou das duas mamas, o homem deve procurar um profissional, que fará uma avaliação detalhada e exames para fazer o diagnóstico correto, pois os sinais podem se assemelhar aos de outras doenças, como o câncer de mama.

A investigação do histórico do paciente também ajudará no diagnóstico e posterior tratamento. Por isso, deve-se estar atento a algumas informações que podem explicar a causa da ginecomastia, tais como:

  • Utilização contínua de medicações;
  • Consumo de bebidas alcoólicas com frequência;
  • Idade. A ginecomastia é muito comum na puberdade e pode regredir espontaneamente. Também pode aparecer em homens com mais de 60 anos;
  • Uso de esteroides e anabolizantes;
  • Diagnóstico de outras doenças. Algumas delas podem causar ou ser fatores de risco para a ginecomastia;
  • Há quanto tempo se notou o aumento das glândulas mamárias e se houve outro sintoma, como dor.

De posse dessas informações e, possivelmente, dos resultados de alguns exames complementares para avaliar os níveis hormonais, o médico procurará o tratamento mais indicado. Em alguns casos, especialmente em jovens na puberdade, o problema pode regressar espontaneamente. Mas uma avaliação indicará a melhor forma de lidar com ele.

Tratamento da ginecomastia

A realização de um bom diagnóstico da ginecomastia é necessária pois, descobrindo sua possível causa e de acordo com as condições do paciente, é definido o melhor caminho para a realização de um tratamento satisfatório.

Alguns casos podem regredir espontaneamente. Dependendo do caso, o quadro também pode ser resolvido com tratamento medicamentoso, prescrito de acordo com sua origem primária. Caso seja possível, evitar a causa primária do problema pode contribuir para um resultado melhor. Em outros casos, o tratamento cirúrgico pode ser indicado.

No caso da intervenção cirúrgica, deve-se avaliar as condições do paciente que podem trazer riscos à vida ou à saúde do mesmo. Não é um procedimento de grande complexidade, e pode ter sucesso, caso siga as recomendações médicas pré e pós-operatórias.

A ginecomastia é um problema que pode causar grandes constrangimentos, que fazem, inclusive, com que muitos homens demorem a buscar tratamento. Ninguém precisa se sentir mal por isso. É um problema que pode ser revertido, desde que as causas sejam conhecidas e a terapia adequada seja aplicada.  

REDE NOTICIANDO

Siga nossas redes sociais e fique bem informado!

Receba em primeira mão nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram.

Rede Noticiando – A serviço da informação!

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.