novembro 27, 2022

Quer aprender como fazer a ligação de um disjuntor bipolar? Antes de mais nada, os disjuntores são dispositivos de proteção que são necessários em todas as instalações residenciais, comerciais e também industriais. Isto porque eles são obrigatórios em todas as instalações de acordo com a norma NBR5410.

Sendo assim, entre os tipos de disjuntores, o disjuntor bipolar, de 220V ou 127V, é um disjuntor que nem todos conhecem ou sabem como funciona. Então, continue a leitura para entender sobre a sua instalação.

Afinal, o que é Disjuntor Bipolar?

Primeiramente, o disjuntor é um dispositivo elétrico que possui a função de proteger a instalação elétrica quando acontece uma sobrecarga, pico de energia ou então curto circuito.

Em suma, o objetivo do disjuntor bipolar é o mesmo. Porém, ele realiza essa proteção monitorando as duas fases de energia que passam por ele.

Assim, quando a corrente elétrica que o disjuntor monitora recebe um valor maior que o valor suportado por ele, o disjuntor aciona o mecanismo que abre o circuito. Ou seja, ele interrompe a passagem de energia elétrica para a carga, que assim evita a queima dos aparelhos que estão após o disjuntor ou diminui os danos que poderiam acontecer na instalação elétrica.

Dessa maneira, instalações bifásicas usam o disjuntor bipolar, em que se tem duas fases e um neutro. Por exemplo, podem ser bifásico 220V (Fase – Fase) ou então monofásico 127V/220V (Fase – Neutro).

Quais são os principais Tipos de Disjuntor?

Sendo assim, os disjuntores mais usados nas instalações são vários. Por exemplo:

  • Disjuntor Monopolar
  • Disjuntor Bipolar
  • Disjuntor Tripolar
  • Disjuntor DR Monopolar
  • Disjuntor DR Bipolar
  • Disjuntor Din
  • Disjuntor Nema
  • Entre outros

Como fazer a ligação de um disjuntor bipolar?

Antes de mais nada, o disjuntor bipolar e o disjuntor monopolar são ligados de maneira muito parecida. Porém, você deve levar em consideração alguns fatores antes de fazer o dimensionamento, que serão citados a seguir.

Confira a Curva de Disjuntores

Definitivamente, conhecer quais são as características dos componentes elétricos é uma grande vantagem para o eletricista. Então, a curva de disjuntor é uma característica fundamental para se saber, uma vez que define a aplicação do disjuntor.

Ou seja, o tipo de curva do disjuntor vai influenciar diretamente onde esse disjuntor deve ser usado.

Além disso, a curva de ruptura de um disjuntor é o tempo que uma corrente acima do limite do disjuntor é suportada antes de ser desarmada. Assim, também pode ser explicada como a tolerância para uma corrente de pico, que pode ser N vezes maior que a corrente nominal.

Portanto, essa tolerância é fundamental, pois muitos aparelhos e equipamentos, ao serem ligados, geram uma energia de pico muito rápida. No entanto, a corrente de energia se estabiliza novamente, logo após o pico de energia acontecer.

Mais um motivo pelo qual é necessária a curva do disjuntor é a sensibilidade dos aparelhos elétricos. Isso porque esses picos podem queimar ou danificar os disjuntores mais sensíveis. Especialmente quando a energia não seccionada muito rápido.

Dessa maneira, cada dispositivo ou aparelho elétrico possui uma sensibilidade. Por isso, as curvas de disjuntores foram categorizadas em curva B,C e D, para que cada categoria protegesse um determinado grupo de aparelhos.

Uma vez que é essencial que você escolha a categoria da curva do disjuntor que mais condiz com o seu tipo de instalação.

Como realizar o Cálculo da Corrente do Disjuntor

Em suma, você precisa saber qual é a corrente total do circuito que será protegido. Uma vez que o disjuntor irá trabalhar monitorando essa corrente.

Sendo assim, usamos a  Lei de Ohm para encontrar essa corrente. Uma vez que a maioria das vezes os aparelhos não apresentam a corrente na embalagem ou manual.

Lei de Ohm: Cálculo de Corrente Elétrica!

De maneira simplificada, a fórmula de Ohm precisa da potência elétrica dos aparelhos e da tensão elétrica do circuito para descobrir a corrente. Então, para isso você irá somar a potência de todo o seu circuito.

Ou seja, para realizar o cálculo de corrente para um circuito de tomadas TUE que possui potência total de 7.000W em um circuito bifásico de 220V. Por exemplo, temos que a corrente I é igual à potência de 7.000W, que é dividida pela tensão de 220V, ao usar a fórmula mostrada acima .

Como fazer a escolha do Disjuntor Bipolar

Após fazer o cálculo, basta olhar na tabela de disjuntores qual o disjuntor chega mais próximo do valor obtido. Então, é só fazer a sua instalação.

Dessa maneira, é muito simples fazer o dimensionamento de um disjuntor bipolar. Basta realizar o cálculo, comprar o material de qualidade e contar com ajuda profissional sempre que necessário.

Então, o que achou sobre como fazer a ligação de um disjuntor bipolar? Ficou com alguma dúvida para realizar a instalação? Deixe nos comentários.

REDE NOTICIANDO

Siga as redes sociais do Rede Noticiando e assine nosso canal no Telegram!

A serviço da Informação!

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Follow Me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *