fevereiro 24, 2020

No início da tarde desta quinta-feira, 21 de fevereiro, seguranças que prestam serviços para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foram covardemente agredidos na estação Santa Terezinha, da Linha 8-Diamante, em Carapicuíba, na Grande São Paulo.

Um grupo formado por cerca de 30 vendedores ambulantes atacaram quatro vigilantes que tinham apreendido mercadorias em uma operação, algumas horas antes.

Os ambulantes partiram para cima dos seguranças com paus e pedras ainda na plataforma, mas a briga foi parar nos trilhos por onde passam as composições.

Pelo menos dez homens espancaram uma das vítimas. Um dos agressores chegou a pular e dar um chute na cabeça do segurança. Depois da ação, todos fogem. Alguns inclusive, entram nos trens.

Os quatro vigilantes tiveram ferimentos leves e foram socorridos no Pronto Socorro de Carapicuíba.

Os vigilantes reconheceram quatro agressores e foram levados para a delegacia de Carapicuíba.

Em nota, a CPTM informou que intensifica a fiscalização contra o comércio ilegal.

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público de São Paulo e Região Metropolitana?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Sou formado em Enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais e aspirante em gestão pública. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.
Siga-me:

Posts relacionados

  1. Anônimo says:

    Comprem docinhos dos “trabaidô”, “pai de família” que tanto defendem pra eles comprarem drogas, fazer uso nas plataformas mesmo e colocar o ferro no sistema!!
    CPTM foi conivente com a entrada desses marginais no sistema, junto com a maioria da população que os apóiam e quem paga o preço agora??
    Os trabalhadores da CPTM!!

    E aí CPTM, vai esperar morrer um funcionário mesmo para tomar alguma providência??

    Por falta de aviso e pedidos de apoio não foi!!

  2. E ainda há quem defenda esse tipo de ”trabalhador”

    Tudo bandido e devem ser combatidos!

    Fora comércio ilegal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.