outubro 16, 2018
SPTRANS

Prefeitura de São Paulo estima que 40% da frota operacional circule neste final de semana

A Prefeitura de São Paulo conseguiu na tarde desta sexta-feira, dia 25 de maio, comprar cerca de 240 mil litros de óleo diesel, para atender aos serviços públicos, ameaçados diante da continuidade da greve nacional dos caminhoneiros. O combustível foi disponibilizado em uma distribuidora, localizada na Zona Sul de São Paulo, e foram transportados com o apoio da Polícia Militar. Mesmo com a aquisição, ainda será necessário manter medidas de contingência.

Confira abaixo como fica os serviços públicos neste final de semana:

TRANSPORTES

“A São Paulo Transporte (SPTrans) informa que deve operar neste fim de semana com 40% da frota. O índice de segunda-feira dependerá da quantidade dos estoques e de novas compras que puderem ser realizadas. O serviço parcial será mantido graças à compra de 240 mil litros de óleo diesel. Apesar da compra, a SPTrans informa que o combustível continuará sendo usado de forma racionada.

Durante o início da manhã desta sexta-feira, as empresas conseguiram circular com 60% da frota programada. As linhas de trólebus e os veículos do Atende operaram com a frota máxima. No entrepico, a SPtrans autorizou as empresas de ônibus a rodar com 40% dos veículos, para garantir o atendimento no fim da tarde e noite. No período de pico da tarde, a partir das 16h30, as empresas conseguiram manter 50% da frota prevista circulando.

Por conta da paralisação dos caminhoneiros, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes cancelou hoje o programa Sexta Sem Carro no centro da Capital. Para garantir o abastecimento de serviços essenciais na cidade, a CET liberou a Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões. A CET também orientou os agentes de trânsito a não aplicar multas aos motoristas que tiverem pane seca nos veículos.  Os agentes devem fazer apenas a remoção do veículo para um local seguro e onde não prejudique o trânsito. A manutenção dessas medidas depende da evolução da greve dos caminhoneiros e será decidida ao longo do fim de semana”.

COLETA DE LIXO E VARRIÇÃO

“A AMLURB informa que hoje, as concessionárias conseguiram adquirir combustível para a coleta de lixo domiciliar. Ela está mantida para esta noite e para amanhã, durante o dia.

As empresas irão reavaliar os estoques ao final do trabalho para decidir se conseguirão realizar a coleta noturna de sábado. Os Ecopontos permanecem fechados, já que os resíduos coletados nesses locais são encaminhados a aterros localizados em rodovias federais e estaduais, muitas delas bloqueadas pelos caminhoneiros. Os serviços de varrição de vias e logradouros continuam reduzidos, mas a coleta hospitalar, a limpeza pós-feiras livres e o recolhimento de animais mortos está mantido”.

SAÚDE

“A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo informa que todas as unidades estão funcionando normalmente e que, até o momento, não houve registro de falta de medicamentos ou de outros insumos. Com relação às ambulâncias, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência informa que conta com uma reserva de combustível para garantir o serviço até o fim do domingo”.

EDUCAÇÃO

“A Secretaria Municipal de Educação informa que as escolas da rede municipal abriram as portas para receber os alunos nesta sexta-feira, inclusive com a oferta regular de merenda. Na segunda-feira, as aulas também estão mantidas, e a merenda terá um cardápio especial, elaborado com supervisão da Coordenadoria de Alimentação Escolar, de acordo com os insumos disponíveis em estoque nas escolas. A partir de segunda também pode haver problemas na entrega do programa Leve-Leite. Houve redução de 69% no atendimento do transporte escolar nesta sexta-feira, por decisão dos próprios condutores, e não por falta de combustível. Isso ocorreu apesar da orientação da SME, para que o serviço fosse oferecido. A pasta reforça essa orientação para que o transporte seja realizado na segunda-feira”.

SERVIÇO FUNERÁRIO MUNICIPAL

“O estoque de combustível para o serviço de remoção de corpos é suficiente para garantir o serviço até o fim deste sábado”.

Prefeito Bruno Covas decretou estado de emergência

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, decretou estado de emergência nesta sexta-feira. A medida permite que a prefeitura faça compras sem licitação, requisite ou apreenda bens privados, como por exemplo o combustível que esteja estocado em um posto.

O prefeito determinou também a criação de um comitê de crise que vai avaliar e tomar as medidas necessárias. Caso continue a situação de desabastecimento provocado pelas manifestações, pode haver decretação de feriado municipal ou de ponto facultativo. O estado de emergência pode evoluir para estado de calamidade pública.

Dentre as medidas a serem adotadas estão a suspensão de serviços administrativos não essenciais com vistas à economia de combustível.

O comitê será presidido pelo prefeito e será composto pelos secretários de Justiça, Governo, Comunicação, Fazenda, Segurança Urbana, Procurador Geral do Município.

A Prefeitura de São Paulo, com o auxílio da Polícia Militar, informou que “continua empenhada em fazer valer a liminar obtida na quinta-feira, que obriga os grevistas a suspender atos que impeçam o abastecimento de combustível para os serviços essenciais”.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.