julho 4, 2022

A hérnia inguinal é uma alteração caracterizada pela passagem de parte do conteúdo abdominal por algum orifício existente na parede do abdômen, na região da virilha — onde fica o canal inguinal. O principal sintoma desta condição é o aparecimento de um abaulamento na região.

O tratamento corretivo para uma hérnia inguinal sempre envolve a realização de uma cirurgia, que é feita a partir do reposicionamento da estrutura que extravasou pelo orifício, correção desta falha na parede abdominal e colocação de uma tela sintética para fortalecer a musculatura da região. A realização desta operação é essencial para prevenir problemas graves e garantir a saúde do paciente.  

Riscos associados à existência de uma hérnia inguinal

A presença de uma hérnia inguinal oferece muitos riscos ao paciente, que pode apresentar obstrução intestinal, encarceramento e estrangulamento da hérnia. Na primeira complicação citada, as fezes não conseguem seguir seu caminho natural e ficam retidas dentro do intestino, se acumulando e causando muitos prejuízos ao corpo do paciente.

Há, também, um elevado risco de que a porção do intestino que passou pelo buraco abdominal fique presa, não retornando à sua posição correta. Este é o principal causador da citada obstrução intestinal, e pode levar à morte do paciente em poucos dias.

O estrangulamento da hérnia inguinal é a consequência mais grave da doença e consiste na interrupção do suprimento sanguíneo recebido pela porção de intestino que está presa no buraco herniário. Neste caso, pode haver necrose das células do órgão, levando à perfuração do intestino, infecções e óbito do paciente.

Todas essas complicações da hérnia inguinal são consideradas emergenciais e devem ser imediatamente tratadas.

Saiba mais sobre a hérnia inguinal

Como foi explicado, a hérnia inguinal ocorre quando há a passagem do conteúdo abdominal através de uma cavidade existente na parede do abdômen. Esta é uma alteração mais frequente entre o sexo masculino, já que os testículos passam pelo canal inguinal durante a gestação, podendo deixar a região enfraquecida. Além disso, são fatores de risco para o problema:

  • Tabagismo;
  • Tosse crônica;
  • Doença pulmonar crônica;
  • Obesidade;
  • Predisposição genética;
  • Constipação intestinal;
  • Esforço físico excessivo, com uso significativo da musculatura abdominal.

O diagnóstico da condição é feito a partir da análise das queixas clínicas apresentadas pelo paciente, combinada com exame físico com palpação do canal inguinal. Exames de imagem podem ser solicitados para confirmação da alteração e identificação da gravidade do caso.

Como é feita a cirurgia para corrigir hérnia inguinal?

A cirurgia é a única maneira de corrigir definitivamente uma hérnia inguinal, que possui baixa taxa de reincidência (apenas 3%). A intervenção é considerada simples e consiste no reposicionamento do órgão, correção do defeito apresentado pela parede abdominal e colocação de um reforço na musculatura.

Este procedimento pode ser feito a partir de técnicas convencionais ou minimamente invasivas, cabendo a um cirurgião especializado a tarefa de identificar a metodologia mais adequada para cada caso. É recomendado procurar um médico assim que forem notados os primeiros sintomas de hérnia (o aparecimento de um abaulamento na região da virilha), de modo a evitar as complicações.

REDE NOTICIANDO

Siga nossas redes sociais e fique bem informado!

Receba em primeira mão nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram.

Rede Noticiando — A serviço da informação!

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Follow Me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.