A liberação do trecho entre as estações Pinheiros e Ceasa da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deve ocorrer somente após o escoramento do viaduto ser concluído na região. Quem informou foi o secretário de Infraestrutura Urbana e Obras de São Paulo, Vitor Aly, na manhã deste sábado, 17 de novembro.

Uma equipe composta por 75 funcionários está trabalhando no escoramento do viaduto da Marginal Pinheiros, na capital paulista. A estrutura cedeu na madrugada de quinta-feira, dia 15, feriado da Proclamação da República.

“Estamos tomando todas as medidas de segurança. Nossa prioridade é a segurança. Primeiro, a segurança das pessoas que estão trabalhando, segurança da estrutura, segurança da preservação da linha da CPTM. Todas as medidas estão sendo tomadas no sentido do escoramento para abreviar a interrupção da CPTM e para a segurança dos operários“, disse Aly.

O objetivo é liberar o trecho interrompido da Linha 9-Esmeralda o mais rápido possível, informou o secretário. No entanto, Aly informou que testes com os trens da CPTM devem ocorrer depois que o escoramento estiver completo.

“Vamos dar andamento ao macaqueamento [movimentação da estrutura para que ela retorne ao nível ideal] da estrutura, que não é solução de consertar o problema. É só para aliviar a tensão do pilar rompido, de forma que a gente preserve a segurança de quem está trabalhando e a do tabuleiro”, disse.

Ainda de acordo com o secretário, a equipe não teve acesso ainda ao interior da estrutura do viaduto, o que inviabiliza identificar o tamanho do dano causado.

“O prefeito já anunciou um comitê de crise, está estabelecido em função da gravidade do problema que estamos aqui acompanhando”, afirmou.

A avaliação dentro da estrutura só será feita quando a equipe considerar que a estrutura está estável. Entretanto, o secretário afirmou que está “mais aliviado” com o avanço do escoramento no viaduto.

“O escoramento é uma estrutura passiva e só vai segurar a estrutura na hora em que ela se deformar e encostar nele. Ela está esperando o viaduto encostar, o que está ocorrendo devagar. Essa deformação está dentro do que a gente estava esperando”, disse.

“Tivemos uma variação de temperatura e, como era esperado, a estrutura é projetada para isso, houve uma movimentação. Tivemos um recalque [rebaixamento] do lado direito de três milímetros, representando um centímetro no acumulado desde o início dos trabalhos de escoramento. Do lado esquerdo, registramos 1,2 centímetro acumulado [de rebaixamento]”, completou.

CPTM e trânsito

Devido ao risco, a Linha 9-Esmeralda da CPTM, que passa sob o viaduto, foi interrompida entre as estações Pinheiros e Ceasa. As estações Villa Lobos-Jaguaré e USP Cidade Universitária estão fechadas. O sistema de ônibus gratuito Paese foi acionado, e atende o trajeto afetado, com 30 veículos do tipo Padron.

A Prefeitura de São Paulo decidiu liberar o rodízio de veículos em trecho da pista local da Marginal Pinheiros devido aos transtornos provocados pela interdição da via expressa após o viaduto localizado na altura do Parque Villa Lobos, na Zona Oeste, ceder.

A circulação de todos os veículos será liberada no sentido Rodovia Castelo Branco, entre a Avenida dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios, a partir da próxima quarta-feira, dia 21 de novembro.

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público de São Paulo e Região Metropolitana?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.