O viaduto que cedeu 2 metros na Marginal Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, na madrugada de quinta-feira, dia 15 de novembro, pode desabar completamente, segundo o secretário municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, Vitor Aly. Os trens que passam embaixo do viaduto fazem com que a estrutura vibre.

A pista expressa da Marginal Pinheiros está fechada desde o incidente, sentido Rodovia Castelo Branco, desde a Ponte Transamérica até a Ponte do Jaguaré. O trânsito está sendo desviado para as três faixas da pista local. Desde a madrugada, equipes trabalharam no local para escorar a estrutura.

Devido ao risco de desabamento, a circulação dos trens entre as estações Pinheiros e Ceasa está interrompida. O sistema de ônibus gratuito Paese foi acionado, e realiza o trajeto afetado.

“Nós passamos a noite inteira monitorando, e percebemos uma movimentação agora pela manhã. Ouvindo especialistas, subimos nosso índice de criticidade da estrutura. Nós vamos acelerar os procedimentos de segurança, de apoio à estrutura, para que as pessoas possam trabalhar com segurança”, disse Aly.

“Vamos diminuir o número de pessoas a trabalhar, para que possam trabalhar com segurança em condição crítica como essa. Antes que vocês perguntem se piorou a situação de estabilidade do viaduto, piorou. Se existe a possibilidade de ruína, existe a possibilidade de ruína”, acrescentou o secretário.

De acordo com José Augusto Bissacot, diretor da CPTM, o fechamento parcial da Linha 9-Esmeralda começou às 10h desta sexta-feira, dia 16 de novembro, e deve perdurar, pelo menos, até a madrugada de quarta-feira, dia 21 de novembro, pois há um esforço conjunto do governo estadual com a Prefeitura de São Paulo para melhorar a estrutura e permitir a retomada do serviço após o feriado prolongado.

“Nós, inclusive, já ligamos para secretário Estadual de Negócios Metropolitanos e pedimos para a CPTM diminuir a velocidade do trem, que o trem estava vibrando e fazendo com que a estrutura se movimentasse. Então o momento agora é de criticidade, e nós vamos acelerar o processo de escoramento para que a gente consiga, após estabilizarmos a estrutura, dar prosseguimento ao trabalho de segurança e recuperação dessa estrutura”, acrescentou o secretário municipal de Obras.

Segundo o secretário, a parte de concreto que cedeu pesa 550 toneladas. O trecho movimentou cerca de 4 mm de um lado e 5 mm, de outro, como se torcesse, e às 10h, o viaduto desceu mais 7 mm.

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público de São Paulo e Região Metropolitana?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Sou profissional e estudante de enfermagem, analista financeiro e de mídias sociais. Sou o criador do Rede Noticiando e co-fundador do Mobilidade Porto Alegre. Mobilidade Urbana e transporte público são os meus temas favoritos. A informação é o meu esporte.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.