O secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, informou durante um evento nesta segunda-feira, 18 de fevereiro, que quer resolver o que ele considera como um problema deixado pela gestão de Geraldo Alckmin, a distância entre a Estação Guarulhos-Aeroporto, da Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), com os terminais de embarque do Aeroporto de Guarulhos.

“A concessão à privatização do aeroporto em Guarulhos foi mal feita, e um dos problemas foi que não previu que o trem saindo da cidade chegue junto ao terminal”, explicou o ex-ministro. “A concessionária exigiu uma fortuna para deixar o trem entrasse no aeroporto. Aí aconteceu a irracionalidade: a estação fica a 2 quilômetros do terminal”.

Henrique Meirelles considera uma “vergonha” a localização da estação. “Você vê lá a estação, vazia, vazia, e um monte de carro em volta”, relata. “Vamos negociar duro agora para estender a linha em 2 ou 3 quilômetros para chegar ao terminal”, concluiu o secretário.

Ele mencionou a possibilidade de uma pessoa sair diretamente do aeroporto para o centro da cidade, nas avenidas Paulista ou Brigadeiro Faria Lima.

Leia também

– Alteração no nome de quatro espaços do Metrô de São Paulo são vetados

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados

  1. Não precisa ser nenhum “expert” em planejamento metroviário para se chegar a conclusão do absurdo desta finalização capenga, e até o Meirelles viu a aberração que mais parece piada de brasileiro contada em Portugal, e o pior é que tem muito bajulador que tenta justificar esta distância de 1,3 km a se percorrer com malas e bagagens como sendo algo normal!!!

    Em parte deve-se ao contrato mal feito de concessão do aeroporto nas gestões anteriores em que a concessionária prefere a construção de algo que lhes de mais lucro $$$ do que o conforto dos usuários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.