O Sindicato dos Metroviários de São Paulo informou por meio de suas redes sociais que as linhas 4-Amarela e 5-Lilás, podem paralisar suas atividades na próxima sexta-feira, 1° de março.

Segundo o sindicato, as concessionárias ViaQuatro e ViaMobilidade, que são responsáveis pela operação e manutenção dos ramais, são intransigentes em negociar o acordo coletivo com os empregados. A entidade diz ainda que os trabalhadores têm péssimas condições de trabalho.

É a primeira vez que linhas de metrô operadas pelos consórcios ameaçam paralisar as atividades.

Representatividade

Em abril de 2018 o Sindicato dos Metroviários de São Paulo foi vitorioso no julgamento o recurso, ocorrido em 4 de abril de 2018, no Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre a representação sindical dos funcionários da Linha 4-Amarela. Segundo a entidade, a decisão foi unânime.

Já sobre a Linha 5-Lilás, o sindicato afirma que tenta negociar com a concessionária ViaMobilidade que todos os trabalhadores tenham todos os direitos que os funcionários da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) possuem.

A última vez em que os metroviários paralisaram suas atividades, no ano passado, a Linha 5-Lilás ainda era operada pelo Metrô, o ramal foi assumido posteriormente pela ViaMobilidade, que faz parte do Grupo CCR, assim como a ViaQuatro.

Concessionárias negam a possibilidade de paralisação das atividades

Em nota ao Rede Noticiando, as concessionarias ViaQuatro e ViaMobilidade informaram, que os trabalhadores são representados pelo sindicato do Ramo de Rodovias e Estradas. Acompanhe na íntegra a nota das operadoras:

“A ViaQuatro e a ViaMobilidade, concessionárias responsáveis pela operação e manutenção das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, respectivamente, informam que suas operações para o dia 1º de março permanecem inalteradas.

As concessionárias esclarecem que já possuem Acordos Coletivos de Trabalho com o SINDECREP-SP – Sindicato dos Empregados nas Empresas Concessionárias no Ramo de Rodovias e Estradas em Geral do Estado de São Paulo assinados e vigentes para o período de 01/03/2018 até 28/02/2020.

Vale salientar que a Federação Nacional dos Empregados nas Empresas Concessionárias do Ramo de Rodovias Públicas, Estradas em Geral, da qual o SINDECREP-SP faz parte, tem dentro do seu registro sindical a atividade metroviária com abrangência nacional”.

Segundo o Sindicato dos Metroviários de São Paulo, uma assembleia será realizada em 28 de fevereiro, e decidirá se haverá greve ou não no dia 1° de março. Ainda segundo a entidade, os empregados das linhas 4-Amarela e 5-Lilás estão em ”estado de greve”.

Em caso de greve na iniciativa privada, as linhas administradas pelo Metrô de São Paulo, sendo elas, 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata, não serão afetadas.

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público de São Paulo e Região Metropolitana?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Dayane Priscila

Estudante de Desenvolvimento de Sistemas. Mini bibliotecária (Tributo, Semi-deusa, selecionada). Fotógrafa aspirante e amante de astronomia.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.