A empresa responsável pela fabricação dos trens da Linha 17-Ouro, Scomi, sinalizou que pretende sair do consórcio com o Metrô de São Paulo.

A promessa desta obra era para a Copa do Mundo de 2014, e até hoje não há nenhum tipo de operação.

Além do atraso, o orçamento da obra aumentou em R$ 2 bilhões e hoje está em torno de R$ 3,7 bilhões.

Enquanto as obras do monotrilho da Linha 17-Ouro, seguem em movimento intenso, vale destacar que os operários se concentram na construção das estações e na montagem dos trilhos, os trens que irão circular no ramal ainda não estão sendo fabricados.

A empresa chegou a anunciar o início das atividades em Taubaté, no interior paulista, em março de 2016.

A previsão era que ela entrasse em operação no segundo semestre do mesmo ano, com capacidade para produzir de três a cinco carros de monotrilho por mês.

A reportagem do telejornal SP2 informou que foi até o local e notou que na área de 78 mil m², não há nenhum sinal da planta da fábrica. Muito menos funcionários contratados.

Segundo a emissora de TV, no final deste mês, a Companhia do Metropolitano deve fazer uma reunião com o consórcio para reavaliar os cronogramas.

O Consórcio do Monotrilho não quis se pronunciar.

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público de São Paulo e Região Metropolitana?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.