outubro 15, 2018

Uma estudante de 18 anos relatou ter sido vítima de estupro na tarde desta quarta-feira, 22 de agosto, dentro da Estação Sacomã, da Linha 2-Verde do Metrô.

A vítima contou ao portal G1 que estava a caminho da faculdade, por volta das 17h, quando foi abordada por um rapaz que inicialmente pediu informações na fila da bilheteria da estação. Alguns minutos depois, já na plataforma, enquanto ela aguardava o trem, ele a atacou.

Confira abaixo o relato da vítima:

”Fui para o local onde pego o vagão que eu sempre tenho o costume de pegar, que fica próximo à escada, e ali tem um vão. Estava estudando.”

“Quando dei por mim, senti um puxão no braço e só lembro de estar no chão, ele passar a mão em mim, rasgar toda a minha legging e foi aí que tudo aconteceu”, descreveu a estudante.

“Eu não tive condições de fazer nada, eu paralisei, não sabia o que fazer. É bem complicado.”

“A única coisa que eu consegui fazer foi pedir para alguns amigos me encontrarem na porta da faculdade porque eu estava totalmente apavorada, em pânico.”

A vítima revelou que o agressor estava armado e, após estuprá-la, a acompanhou até as proximidades da universidade.

A jovem procurou atendimento médico no Hospital de São Bernardo do Campo, onde realizou exames e recebeu os medicamentos anti-retovirais e a pílula do dia seguinte.

Na tarde desta quinta-feira, 23 de agosto, a jovem registrou a ocorrência na 2° Delegacia da Mulher, na Zona Sul da cidade.

O Metrô de São Paulo informou por meio de nota que tomou conhecimento da ocorrência e que irá colaborar com as investigações.

“Nesta quinta-feira (23) uma mulher compareceu à 2ª Delegacia da Mulher para registrar um Boletim de Ocorrência no qual relata ter sido agredida sexualmente na plataforma da Estação Sacomã na tarde de ontem. A vítima afirma que não procurou auxílio de nenhum funcionário do Metrô. A Companhia não medirá esforços para colaborar com a polícia durante as investigações”, diz o texto.

A Secretaria de Segurança Pública informou que o caso mencionado da Estação Sacomã foi registrado na 2° Delegacia da Mulher e que o caso será investigado.

Grupo de socorro

Depois de diversos relatos compartilhados nas redes sociais sobre casos de estupros e assédios próximo de estações das linhas 1-Azul e 2-Verde do Metrô, mulheres criaram um grupo no WhatsApp para pedirem socorro e informar caso sofram alguma violência na região.

O grupo foi criado na última terça-feira, 21 de agosto, tem 257 mulheres participantes e já recebeu cerca de 10 relatos de casos de assédios ou estupros que acontecem nas proximidades das estações.

Leia também

– Abuso sexual na região da Vila Mariana é relatado nas redes sociais

– A Polícia Civil de SP concluiu que a jovem não foi estuprada na estação Sacomã do Metrô

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Siga-me:

Posts relacionados

  1. Ênio Rodrigues de Freitas São Martinho says:

    É muito fácil falar quando se é homem. A pessoa está sobre ameaça dev uma arma é estrupada e a culpa ainda é dela por não gritar Socorro? ???
    Você não sabe que tipo de ameaça ela recebeu, ou você acha que ela não pensou em tudo isso?
    Só falta achar que ela não gritou porque estava “gostando da coisa”.

  2. Cezar Roberto da Silva says:

    Não entendi? Tem câmaras, podem facilmente identificar o estuprador! E ela porque não gritou? Foi acompanhada por ele até a Faculdade? Cadê os gritos de socorro??????? Isto não é 2:00 da madrugada, tem muita gente está hora!!!! ?????

  3. Jefferson says:

    Foi dentro da estação, as 17h e ninguém viu nem fez nada? Pq pelo descrito, o cara deitou e rolou. Mesmo sendo um vão,17h tem bastante gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.