outubro 4, 2022

A tecnologia que está revolucionando as comunicações também chegou aos veículos autônomos

A tecnologia do 5G não para de abrir portas para novos empreendimentos e melhorias no mundo da tecnologia. Agora é a vez dos carros autônomos se beneficiarem: é possível que a conectividade de alta velocidade prometida pela nova tecnologia seja a chave para viabilizar de vez o uso de carros elétricos e autônomos ao redor do mundo.

Mas, antes de tudo, precisamos compreender como funcionam os carros autônomos e por que a tecnologia do 5G, aliada a todos os conceitos da Internet das Coisas (IoT), pode impulsionar ainda mais o desenvolvimento deles. 

Montadoras de todo o globo estão reunindo esforços para implantar o uso de mobilidade automatizada e reduzir a quantidade de trânsito, poluição e acidentes que ocorrem pelas ruas e estradas. E essa pode ser uma ideia revolucionária de um futuro bastante próximo.

Como carros autônomos antes mesmo do 5G?

Carros autônomos – ou veículos automatizados – são aqueles que trazem consigo funções autônomas de direção e segurança e atuam de forma independente, sem qualquer interferência humana. 

A autonomia do veículo vai depender do nível desejado de configuração personalizada pela montadora. Algumas inclusive constroem veículos que não possuem volante ou pedais, e todos os assentos são para passageiros. Esses modelos, entretanto, ainda são conceituais.

A automação completa de direção ainda não foi alcançada, devido a diversos fatores externos à tecnologia do veículo em si, como ruas com pouca sinalização, movimentos inesperados de outros veículos, etc.

Hoje, algumas marcas já fazem estudos com carros elétricos e autônomos, tendo a Tesla e a Ford como principais marcas no mercado.

Como esses veículos funcionam?

Para entender como funciona a automação de veículos, é preciso compreender que existe uma padronização de seis níveis sobre a condução autônoma (variando de zero a cinco).

A dependência de ter um ser humano no comando do veículo diminui, conforme o nível de automação aumenta. Um veículo de nível zero é totalmente manual e necessita de um motorista para conduzir a máquina, ou seja, frear, acelerar, executar curvas e manter a segurança enquanto conduz o carro.

Já os veículos com automação nível 1 e 2 possuem, respectivamente, direção assistida e automação parcial. Os dois níveis necessitam de um motorista que fique o tempo todo com as mãos no volante e supervisionando a operação do veículo. 

Essa tecnologia já está muito presente no dia a dia, com veículos que possuem assistência de centralização na faixa, controle de velocidade adaptativo – o controle vai manter o carro sempre a uma distância segura de outros veículos – e estacionamento automático.

O nível 3 já foi atingido por veículos da montadora Tesla. Esse nível consiste em direção totalmente autônoma, sem supervisão humana: o veículo vai se conduzir sozinho, e o motorista não precisa manter as mãos no volante. Ainda assim, existem sistemas de alerta para que o motorista assuma o controle do veículo em caso de emergência ou de mau funcionamento de algum sistema. 

No nível 4, o carro é capaz de ser conduzido de forma totalmente autônoma e ainda assumir posições de segurança, caso o motorista não assuma o veículo a tempo. Nesse nível, o veículo ainda fica restrito a determinadas áreas de cobertura de sensores (chamada de geofencing, ou cercas geográficas), portanto ainda não é livre para todo e qualquer destino.

O nível 5, por outro lado, diz que o veículo pode se dirigir de forma autônoma para todo e qualquer lugar e sob qualquer condição climática, não ficando mais limitado ao geofencing e sem necessitar de um ser humano para ficar em posição de motorista. Ele por si só já possui todas as ferramentas e soluções para qualquer cenário. 

O único envolvimento seria definir um destino por comando de voz, enquanto o veículo se desloca. As pessoas em seu interior podem dormir, trabalhar ou interagir com os sistemas de entretenimento a bordo.

Como o 5G vai impulsionar esse desenvolvimento?

A vantagem do 5G é sua baixa latência e seu menor tempo de resposta entre os dispositivos; isso traz mais segurança para sistemas autônomos que necessitam de dispositivos extremamente precisos. Um milissegundo de atraso, ao longo de uma cadeia de dispositivos, pode resultar em um acidente rodoviário, e o 5G diminui essa probabilidade. 

Outra vantagem é a possibilidade de alertar sistemas de segurança externos, em caso de acidentes. Com o 5G, a possibilidade de um veículo acidentado alertar todas as autoridades, seguros, etc., é mais plausível, devido à sua comunicação mais eficiente.

A integração com serviços de entrega também é um grande salto com a implementação do 5G. Aplicativos de carona, como Uber X ou Uber Black, se beneficiarão com a comunicação mais veloz e precisa, podendo inclusive fazer viagens mais longas e para locais mais distantes. 

Sustentabilidade

Em quesito de sustentabilidade, os veículos elétricos já destacam inúmeras vantagens: a começar pelo combustível, posto que os recursos usados são menos poluentes e mais ecológicos.

A tendência é que os carros fiquem cada vez mais sustentáveis e menos prejudiciais ao meio ambiente, com um controle mais regulado de mobilidade urbana, controlada por meio da tecnologia.

REDE NOTICIANDO

Siga nossas redes sociais e fique bem informado!

Receba em primeira mão nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram.

Rede Noticiando — A serviço da informação!

Flávia Viana

Jornalista e editora convidada do Rede Noticiando. Contribui com pautas sobre saúde, tecnologia, aplicativos e mobilidade urbana.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.