A startup Milênio Bus vai testar um sistema que conta passageiros de ônibus em tempo real em dez linhas municipais da SPTrans, entretanto, de acordo com a gestora, ainda não há data definida para que isso ocorra.

Esse tipo de tecnologia já está sendo testado em um veículo da Metra, inclusive o grupo já recebeu um prêmio internacional pela ideia. A ideia do grupo resultou em um hardware que lê a quantidade de passageiros, com o objetivo de evitar que um ônibus da mesma linha fique lotado e o que vem logo em seguida fique vazio.

Sistema

O sistema funciona por meio de câmeras normais, instaladas dentro dos coletivos, que registram imagens dos ocupantes. O software não conta o mesmo passageiro duas vezes, se por ventura o mesmo mudar de local, o sistema entende que se trata da mesma pessoa.

O objetivo desse sistema é ler a quantidade de passageiros, com o objetivo de evitar que um ônibus da mesma linha fique lotado e o que vem logo em seguida fique vazio.

Os desenvolvedores estudam uma maneira do software identificar casos de assalto e assédio sexual de forma automática, desta forma, o sistema deverá reconhecer movimentos suspeitos, como por exemplo, o de segurar uma arma.

A ideia é que quando o recurso estiver totalmente concluído, o sistema avise uma central de segurança sobre um possível caso de violência dentro do coletivo, a partir dai, essa central irá acionar os órgãos competentes para atuar em tempo real.

Comercialização

De acordo com Renato Rodrigues, um dos criadores da Milênio Bus, a comercialização do produto somente irá ocorrer quando o sistema se tornar ao menos 95% preciso. A assertividade do produto gira em torno de 82% atualmente. Os testes vão colaborar para o aperfeiçoamento da tecnologia.

O Projeto

Os criadores da Milênio Bus são Marcel Ogando, Renato Rodrigues e Fábien Oliveira e o projeto surgiu na hackaton de Campinas, em 2016. Trata-se de um evento que desafia os participantes a criarem tecnologias para mobilidade.

Após participarem de um projeto envolvendo caminhões em Campinas, o grupo participou da hackaton da EMTU e criou o sistema em que o passageiro aposenta o cartão de plástico e passa a usar o celular para efetuar o pagamento da passagem.

O grupo conta que, a partir desta segunda ideia, que surgiu o projeto que conta os passageiros em tempo real, cujo objetivo é evitar que um ônibus circule lotado e outro que venha em seguida, esteja vazio.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados