março 3, 2024

Seguro x Proteção veicular: Qual é a melhor opção? Confira como funciona os dois tipos de serviço, quais as suas diferenças e como definir qual deve contratar para proteger seu veículo.

Quando falamos de cuidados com automóveis, as opções de segurança financeira contra danos ou perdas vêm à mente. Entre essas opções, encontramos o seguro veicular e a proteção veicular, que, apesar de terem o mesmo objetivo de proteger o proprietário contra adversidades, possuem diferenças significativas.

Seguro x Proteção veicular: Qual é a melhor opção?

O seguro veicular é um contrato firmado entre o proprietário do veículo e uma seguradora, onde o último se compromete a indenizar o proprietário ou terceiros em caso de incidentes cobertos pela apólice, como colisão, roubo, incêndio, entre outros.

Este contrato é regulamentado pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), garantindo rigorosos padrões de qualidade e solidez financeira.

A proteção veicular, por outro lado, não é um seguro no sentido tradicional. Trata-se de uma modalidade de proteção mutualista, oferecida por associações ou cooperativas. Neste modelo, todos os associados contribuem mensalmente com um valor estipulado para a formação de um fundo, que será utilizado para cobrir eventuais prejuízos dos membros.

Este sistema não é regulado pela SUSEP, mas sim pelas normas das próprias associações, e pelo Código Civil no que diz respeito às cooperativas.

Qual a diferença entre seguro e proteção veicular?

Para definir qual a melhor opção, antes é preciso avaliar as diferenças e vantagens de cada tipo de serviço, bem como:

Coberturas e Serviços Adicionais

Os seguros veiculares muitas vezes oferecem uma gama de coberturas diversificada, incluindo responsabilidade civil, assistência 24 horas, carro reserva, cobertura para terceiros, entre outros. Além disso, as seguradoras permitem a customização da apólice para se adequar às necessidades dos segurados.

Em contraste, a proteção veicular pode ter um leque de coberturas mais limitado ou menos flexíveis. As coberturas são decididas coletivamente e podem variar de um grupo para outro. Alguns podem oferecer assistência semelhante às seguradoras, mas não é uma regra.

Processo de Indenização

No seguro veicular, em casos de sinistro, a seguradora é responsável por pagar a indenização conforme os termos da apólice, depois de analisada e aprovada a reclamação. O processo é formalizado e segue procedimentos padrão estabelecidos pela SUSEP.

Já na proteção veicular, o processo de indenização pode ser mais flexível, mas também menos previsível.

Como é baseado no mutualismo, a disponibilidade de recursos depende das contribuições dos membros e dos sinistros cobertos no período. Em alguns casos, isso pode levar a atrasos na indenização se houver falta de fundos.

Preço e Acessibilidade

Um diferencial importante é o preço. Geralmente, a proteção veicular costuma ter mensalidades mais acessíveis se comparadas ao preço do seguro veicular, pois se relaciona com a mutualização dos custos e uma estrutura operacional que pode ser menos onerosa.

O seguro veicular pode ser mais caro devido aos custos operacionais das seguradoras, investimentos em segurança e garantias financeiras, além da margem de lucro embutida no preço. No entanto, esse custo adicional reflete diretamente na robustez e confiabilidade do serviço.

Seleção de Risco

Seguradoras tendem a ter processos de seleção de risco mais rigorosos, analisando o perfil do condutor, histórico de sinistralidade, modelo do veículo, entre outros fatores. O que pode resultar na recusa de cobertura para perfis considerados de alto risco ou na aplicação de prêmios mais elevados.

Em contraste, a proteção veicular pode ser mais inclusiva, aceitando perfis de risco que seguradoras tradicionais poderiam não aceitar. Entretanto, isso pode também implicar em maior sinistralidade e, consequentemente, inconsistência nos fundos mutualizados para cobrir os eventos.

Compromisso e Garantias

As seguradoras têm um compromisso legal e financeiro com seus clientes, respaldado por ativos e fiscalização da SUSEP. Isso traz uma camada de segurança e garantia que uma associação de proteção veicular não proporciona. A falência de uma seguradora é algo extremamente raro devido às regulamentações estritas e ao monitoramento contínuo.

Associados de proteção veicular, no entanto, dependem da solidez e da honestidade da administração da associação e da saúde financeira do grupo, sem a mesma fiscalização e proteção regulatória.

Qual é a melhor opção: seguro ou proteção veicular?

A escolha entre seguro e proteção veicular deve ser baseada em uma análise cuidadosa de prós e contras, levando em conta as necessidades individuais, situação financeira e perfil de risco.

Se a prioridade é ter uma proteção bem regulada, com amplo suporte legal e estabilidade financeira, o seguro veicular é a melhor opção. A fiscalização da SUSEP e a obrigação legal das seguradoras garantem ao consumidor uma segurança que a proteção veicular não pode oferecer com a mesma robustez.

Caso o fator determinante seja o valor da mensalidade, a proteção veicular pode ser mais atraente. No entanto, é fundamental estar ciente de que, de certo modo, você estará trocando menor preço por menos garantias regulatórias e, possivelmente, uma cobertura mais restrita.

A maioria das pessoas que têm dificuldade em contratar um seguro tradicional devido ao modelo do veículo, região de residência de alto risco ou histórico de sinistros, podem achar mais viável optar pela proteção veicular, que costuma ser menos seletiva.

Quem deseja ter clareza quanto ao que está contratando e previsibilidade com relação a sinistros talvez prefira o seguro veicular. A padronização e transparência são mais evidentes em contratos de seguro regulados, enquanto na proteção veicular, os processos de aprovação de sinistro e rateio podem ser menos claros.

Se houver necessidade de uma cobertura personalizada e específica, com possíveis adições como seguro contra terceiros, vidros, assistência 24 horas e carro reserva, o seguro veicular também se sobressai. A proteção veicular pode não oferecer o mesmo nível de customização ou variedade em suas opções de cobertura.

A capacidade de pagamento e a prontidão da indenização em caso de sinistro são fatores cruciais. As seguradoras, com seu apoio financeiro e regulatório, tendem a garantir maior confiabilidade e rapidez no atendimento. Na proteção veicular, há o risco de atrasos ou problemas de liquidez que podem afetar o pagamento da indenização.

Seguradoras muitas vezes têm parcerias com uma grande rede de prestadores de serviços, oficinas e concessionárias, permitindo o acesso a benefícios, descontos e um serviço de mais qualidade. Enquanto isso, associações de proteção veicular podem ter uma rede de parcerias mais limitada.

Um aspecto que pode favorecer a proteção veicular é o senso de comunidade e suporte mutualista. Se o aspecto cooperativista e a ideia de contribuir para um fundo comum que beneficia a todos os associados são apelativos, a proteção veicular tem seu valor.

Concluindo, de todo modo as duas opções de serviço podem ser vantajosas, desde que você avalie qual a melhor se adéqua às necessidades de proteção do seu veículo. 

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Follow Me:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *