dezembro 18, 2018

Foi publicado no Diário Oficial pela Prefeitura de São Paulo nesta terça-feira, 21 de agosto, o edital para concessão do Terminal Princesa Isabel, ao lado da praça de mesmo nome no centro da cidade.

De olho não só na modernização do espaço, mas também na tentativa de revitalizar a vizinha e degradada área da Cracolândia, o plano prevê transferir a gestão do terminal a iniciativa privada por 35 anos.

O vencedor da concorrência será a empresa ou consórcio que propuser o maior valor a ser pago para a prefeitura. O valor estimado do contrato é de R$ 132 milhões.

Para manter o terminal, a prefeitura gasta cerca de R$ 6,7 milhões por ano e obtém receita de R$ 209 mil.

Quem assumir o local terá de requalificar e conservar o terminal e, em contrapartida, poderá explorar a publicidade, quiosques comerciais e outros espaços que venha a construir no terreno.

Além disso, será responsável por fazer uma série de melhorias em calçadas, mobiliário urbano, sinalização e iluminação no entorno, que abrange a área da Cracolândia, em vias como a Rua Helvétia e a Alameda Glete.

A expectativa é que as propostas sejam conhecidas em 18 de outubro e que o contrato saia no início de 2019. A partir daí, a concessionária terá dois anos para renovar o terminal e quatro anos para requalificar o entorno.

A mudança do Terminal Princesa Isabel está associada ao Projeto de Intervenção Urbana, já oficializado em decreto pela prefeitura e que prevê mudanças num raio de 600 metros do terminal para atrair investimentos privados e novos serviços públicos para a região.

A concessão faz parte do Plano de Desestatização da Prefeitura de São Paulo, que prevê transferir à iniciativa privada, entre outros bens, os terminais, parques, mercados, o Estádio do Pacaembu e o Complexo Anhembi.

Igor Roberto

Profissional e estudante de enfermagem, pesquisador, analista financeiro e de mídias sociais. A informação é o meu esporte!
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.