agosto 7, 2022

Apesar de não ser uma doença, a menopausa traz consigo uma série de sintomas, que podem ser controlados com uma rotina mais equilibrada

Em circunstâncias normais, toda mulher entre os 45 e 55 anos de idade entrará na menopausa, um processo natural que representa o fim dos seus ciclos menstruais. Apesar de muita gente pensar que esse episódio também causa o fim da fertilidade da mulher, na verdade, esse fator está relacionado com outro processo chamado de climatério, caracterizado pela perda gradual da função ovariana, algo que acontece antes mesmo da menopausa. Ainda assim, ambas as fases estão relacionadas com o mesmo período da vida, e por isso, se relacionam.

Nenhum desses processos é uma doença, e toda mulher passará por isso quando chegar na idade, mas isso não significa que não seja possível se preparar melhor para o momento. A menopausa é famosa por trazer consigo diversos sintomas, dentre eles irregularidade menstrual, tanto na frequência quanto no fluxo (podendo passar meses sem sangrar ou sangrar menos que o normal), alterações de humor, libido e sono, ondas de calor, tonturas, palpitações, entre outros.

Isso acontece porque a menopausa é uma fase de grande instabilidade hormonal, já que as taxas de hormônios femininos do organismo começam a cair consideravelmente. Esses hormônios participam de diversos processos orgânicos, então os sintomas nada mais são que reações aos níveis mais baixos. Conforme os anos vão passando e o corpo se adaptando a esse novo normal, a tendência é que a mulher possa voltar a ter uma vida mais tranquila, porém a intensidade desses sintomas varia de acordo com seus hábitos de vida.

Primeiramente, é importante que a mulher tenha acompanhamento médico durante todo o período e até mesmo depois, pois quando os sintomas são muito fortes e interferem na qualidade de vida, pode ser necessário intervir com tratamentos de reposição hormonal. Já com respeito à rotina o ideal sempre é adotar hábitos saudáveis para minimizar qualquer efeito da menopausa, pois muitos deles estão relacionados com o quadro de saúde da pessoa.

Adotar uma dieta saudável e uma rotina fisicamente ativa, como focar na academia, pode trazer inúmeros benefícios, desde se manter dentro de um peso adequado até a reposição de diversas vitaminas e nutrientes essenciais para o organismo. Também é importante evitar qualquer prática que possa ser prejudicial, como o tabagismo e o excesso de bebidas alcoólicas. Todas essas medidas são básicas para se ter uma vida mais saudável e fazem toda a diferença no período do climatério e da menopausa. 

Exames para analisar o colo do útero

O exame de Colposcopia funciona como se fosse um microscópio e permite a análise do colo do útero, a vagina e a vulva de forma ampliada e detalhada, por conta das lentes de aumento utilizadas no processo. É um exame que, em geral, é realizado junto com o exame de Papanicolau.

É um exame capaz de analisar os tecidos desses órgãos e diagnosticar lesões benignas (inflamações), pré-malignas que antecedem o câncer e lesões malignas.

Também pode ser identificado pelo exame doenças, como: inflamação do colo do útero, dor pélvica, pólipos benignos, sangramentos e verrugas genitais no colo do útero (geralmente causadas pelo vírus do HPV).

Caso seja identificada lesões, biópsias podem ser realizadas durante o exame.

O exame não é muito demorado e geralmente tem duração de 10 a 20 minutos.

REDE NOTICIANDO

Siga nossas redes sociais e fique bem informado!

Receba em primeira mão nosso conteúdo através do nosso canal no Telegram.Rede Noticiando — A serviço da informação!

Flávia Viana

Jornalista e editora convidada do Rede Noticiando. Contribui com pautas sobre saúde, tecnologia, aplicativos e mobilidade urbana.

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.