maio 26, 2024

Eles estão em “estado de greve” desde o dia 20 de janeiro de 2023. Sindicato diz que companhia descumpriu acordo coletivo e a empresa não tem um presidente efetivo para negociação.

Durante o mês de janeiro de 2023, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo vem realizando negociações com o Metrô para que as Participações de Resultados (PRs) atrasadas, além do pagamento de acordos coletivos de 2022, fossem realizadas. Diversas tentativas de negociações foram realizadas, mas não sofreram avanços. No último dia 19 de janeiro, os funcionários realizaram assembleia no Sindicato e decidiram entrar em “estado de greve” desde o dia 20, com uso de botons e coletes da campanha.

Sem nenhum avanço nas negociações, os funcionários realizaram uma nova assembleia entre os dias 01 e 02 de fevereiro de 2023,na sede do Sindicato, e aprovaram um indicativo de paralisação para o dia 15 de fevereiro de 2023.

Em nota, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo informou que no dia 01 de fevereiro, houve uma reunião com representantes do Metrô e foram informados que a falta de um presidente efetivo impede a negociação dos Steps, abono para compensar o pagamento da PR e contratação de mais funcionários. O Sindicato informou ainda que vai buscar negociar com a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) e que dia 07 de fevereiro vai acontecer uma audiência no TRT sobre o descumprimento do acordo coletivo por parte do Metrô.

Uma nova assembleia foi marcada para o dia 14 de fevereiro, para decisão sobre a paralisação no dia 15 de fevereiro.

Anderson Dantas

Potiguar, prestativo e empreendedor. É formado em turismo e trabalha com marketing digital. É administrador das páginas do Rede Noticiando desde 2015. Quer entrar em contato com o Anderson? Escreva para [email protected]
Follow Me:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *