O Grupo CCR mira agora, ganhar a concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM, além de estar de olho no Trem Intercidades.

Em busca de garantir novas oportunidades de investimentos, o Grupo CCR, em suas diferentes áreas de negócios, busca alavancar seu leque de administração e acompanha a busca por novos projetos.

O Grupo é responsável atualmente pela operação de duas linhas de metrô, a 4-Amarela e a 5-Lilás, e vai operar duas linhas de monotrilho, 15-Prata e a 17-Ouro.

O Presidente da Companhia, Leonardo Vianna, citou PPPs como da CPTM e dos Trens Intercidades, e que a companhia têm acompanhado o desenvolvimento do projeto há dois anos e colaborado com o governo estadual na elaboração do edital e foi uma das seis empresas habilitadas para participar da licitação.

“É um projeto que faz sentido, dentro da nossa política de investimentos”, disse Vianna, citando que seria um investimento da ordem de US$ 3,3 bilhões, mas a maior parte seria aportada pelo governo. O executivo disse ainda que acompanha a concessão do metrô de Bogotá.

O edital de concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), além do Trem Intercidades entre São Paulo e Campinas, que englobará a concessão da Linha 7-Rubi deve sair até o final deste ano.

Siga o Rede Noticiando

Quer saber mais notícias sobre o transporte público?

Curta a nossa página no Facebook.

Siga o @RedeNoticiando no Twitter.

Siga o nosso perfil @redenoticiando no Instagram.

Assine o nosso canal Rede Noticiando no YouTube.

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Siga-me:

Posts relacionados

  1. Júlio Brayner says:

    A CCR realmente mira em concessões e privatizações.
    Apenas do filé.
    Linhas novas ou modernizadas, trens novos e estruturas novas.
    Linhas rentáveis.
    Nada de serviços sociais ou gratuidades.
    Tudo conforme o plano de “investimentos” da empresa.
    Desde que a esmagadora maioria do investimento venha, é claro….
    Dos cofres públicos……
    É meus amigos…..
    Como é bom usar o dinheiro público….
    Como é fácil gastar…..
    Parece até que não tem dono!!!
    Assim fica fácil.

    Conforme

  2. “colaborado com o governo estadual na elaboração do edital” e “um investimento da ordem de US$ 3,3 bilhões, mas a maior parte seria aportada pelo governo” . o cara ri na cara dura do contribuinte. isso é crime de lesa patria

  3. Trens urbanos entre cidades.

    A CPTM estuda a implantação de três trens expressos no futuro utilizando composições pendulares de dois andares (double decker), (podendo ser dois se considerarmos a reunificação das linhas 7 e 10):

    Expresso Noroeste (Linha 7 Rubi)
    -5 estações (Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Lapa, Água Branca).
    ~183 mil pass/dia (2014)

    Expresso Oeste Sul (Linha 8 Diamante)
    -4 +2 estações (Barueri, Carapicuíba, Osasco e Pinheiros), com previsão de prolongamento até Tamboré e Alphaville.
    ~216 + 44 mil pass/dia (2014)

    Expresso Sudeste (Linha 10 Turquesa)
    -6 estações (Luz, Brás, Tamanduateí, São Caetano, Santo André e Mauá).
    ~416 mil pass/dia (2014)
    Poderia se reunificar as linhas 7 e 10 entre Mauá e Francisco Morato, como eram antigamente.

    Eis os fatores que justificam a implantação trens de dois andares em algum desses trens expressos;

    – A altura (h) do cabo de alimentação (catenária) de 3 kVcc x pantógrafo atende.
    – Atendimento de poucas estações (caso da linha 8).
    – Demanda pequena (no caso dos expressos Noroeste e Oeste Sul).
    – Trens de dois andares poderiam transportar mais passageiros (praticamente o dobro) com menos composições, pois a quantidade poderia ser ajustada em conformidade com a demanda diária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.