O sistema de Trens do Subúrbio de Salvador deixará de operar a partir de 15 de fevereiro, para dar início a nova etapa das obras do Veículo Leve de Transporte (VLT).

Atualmente, o Trem do Subúrbio conta com 10 estações e liga o bairro da Calçada a Paripe. Para que a população continue se deslocando na região, o transporte será feito por ônibus que estão integrados ao sistema metroviário.

Segundo o governo do estado, as obras de implantação do VLT estão previstas para serem concluídas no prazo de 24 meses. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado, Nelson Pelegrino, foi feito um estudo para diminuir o impacto da mudança na rotina dos moradores da região.

“Foi feita uma avaliação e pesquisa de origem e destino dos usuários de transporte público naquela região, e sabemos como eles se deslocam. Os passageiros serão orientados sobre as linhas de ônibus que estão servindo aquela região do subúrbio e que podem ser utilizadas em substituição ao trem”.

Ainda de acordo com o secretário, os veículos estão integrados ao sistema de ônibus urbanos e metropolitanos, além do metrô. Ele explica que ao pagar uma única tarifa os usuários poderão pegar dois ônibus e o metrô.

“Hoje o trem tem uma tarifa simbólica de R$ 0,50, que não corresponde ao deslocamento da cidade. Esses usuários poderão pagar R$ 4,20 numa tarifa integrada. Deixando claro que essa tarifa atual do trem só permite o deslocamento entre Paripe e a Calçada e, caso o passageiro necessite ir até o Comércio ou outras regiões centrais da cidade, o usuário paga mais R$ 4,20, ou seja, R$ 4,70″.

A paralisação do trem neste momento irá viabilizar que a via seja isolada, seccionada, colocados tapumes e se inicie a retirada da parte aérea de eletrificação da ferrovia. Logo após será iniciada a prova de carga da via, considerada etapa fundamental para que no futuro sejam fincadas as estacas, depois os pilares e por fim a via por onde irá circular o VLT.

De forma quase simultânea, também serão construídas as estações do VLT. Já os carros estão sendo construídos na China e a previsão é de que o primeiro deles seja embarcado no país asiático com destino a Bahia já no mês de abril deste ano.

Trens já operaram em São Paulo

O famoso trem japonês Toshiba, antes de operarem no trem do subúrbio em Salvador, prestaram serviços no Estado de São Paulo. Eles foram comprados pela Estrada de Ferro Sorocabana na década de 50 e que operaram até 2010 na extensão da Linha 8-Diamante da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, entre Itapevi e Amador Bueno.

Trem Toshiba quando operava pela CPTM

O trem já atendeu cidades mais distantes, como Sorocaba, Mairinque, São Roque e até Avaré que fica a 268km de São Paulo, no trecho da linha tronco da Estrada de Ferro Sorocabana, que chegava à Presidente Prudente e outras localidades do Estado de São Paulo.

Toshiba com a pintura da Sorocabana

No fim de sua vida útil em São Paulo, com a modernização da frota de trens da CPTM, e o alargamento da bitola (distância entre os trilhos) de métrica para a larga, os Toshibas ficaram confinados na extensão operacional da linha 8 até 2010, quando foram aposentados.

Alguns exemplares desta frota, que em São Paulo, na época da CPTM ficou conhecida como série 4800, operou no Trem Intrametropolitano (TIM) no Litoral Paulista, trecho este que atualmente, após ser revitalizado opera o VLT da Baixada.

Trem Toshiba operando no litoral, onde hoje opera o VLT

Com a aposentadoria “batendo na porta” os Toshibas devem dar adeus de vez aos trilhos, após uma sobrevida em Salvador. É a modernidade chegando!

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Igor Roberto

Paulistano, empreendedor e pai. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana, transporte público e cinema. É o criador do site Rede Noticiando. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@noticiando.net
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.