Você sabe quais músculos mais trabalham pedalando? É importante entender sobre o assunto caso você veja o ciclismo como uma estratégia de desenvolvimento corporal, emagrecimento e fortalecimento natural da sua musculatura. Por isso, é vital ler mais artigos em um bom blog sobre bicicleta para aprender os benefícios dessa estratégia.

A bicicleta já é muito procurada pelas pessoas para o emagrecimento (especialmente agora que boa parte da população sofre com a obesidade) e também para métodos de transporte menos poluentes (uma preocupação cada vez maior por causa das mudanças climáticas). Assim, conforme o ciclismo se torna cada vez mais popular, é interessante entender todos os seus benefícios.

Quer saber quais músculos mais trabalham pedalando? Então siga a leitura do artigo abaixo com atenção!

Quais músculos mais trabalham pedalando?

1. Quadríceps

A primeira fase da pedalada acontece quando fazemos força com os pés no pedal, empurrando-o para frente e para baixo. Nesse momento, os músculos que mais fazem força são os quadríceps. Esse grupo muscular fica localizado na coxa, logo acima do joelho. É o músculo que mais “salta”, quando tensionamos os músculos da coxa. Ele é composto basicamente por quatro músculos: vasto medial, vasto lateral, vasto intermédio e reto-femoral. Todos eles trabalham para produzir bastante força e enviar pelo restante da perna até chegar ao pé e então transmitir a força para o pedal.

2. Gêmeos, isquiotibiais e glúteos

O segundo momento da pedalada é aquele em que o pedal está na sua parte mais baixa e, por isso, a perna está toda esticada, logo antes de se retrair. Os músculos que mais são trabalhados nesse momento são os gêmeos, ao lado dos isquiotibiais e os glúteos.

Os gêmeos são músculos que ficam na parte de trás da perna, mais especificamente logo abaixo da dobra do joelho. Eles são músculos bem poderosos e que são muito trabalhados durante a pedalada.

Os músculos isquiotibiais também ficam localizados na parte traseira das costas. Eles são dois músculos muito fibrosos e compõem praticamente toda a parte traseira da sua coxa. Ou seja: temos os músculos isquiotibiais, a dobra do joelho e logo após os gêmeos, de cima para baixo, olhando a parte de trás da perna.

Já os glúteos são os músculos do bumbum. Eles são muito trabalhados na pedalada, apesar de não parecer. Eles movem grande parte da perna e, nesse segundo estágio da pedalada, eles estão bem esticados, trabalhando bastante.

3. Musculatura do quadril

A terceira fase do ciclo da pedalada é quando o pé se eleva novamente e o corpo precisa puxá-lo para cima para compensar o esforço feito até agora. Nesse momento, o grupo muscular que é muito usado é o do quadril. 

A musculatura do quadril é aquela que fica colada nos ossos da anca. Eles ajudam a acomodar o peso da pessoa no dia a dia e são vitais para a movimentação perfeita da perna, especialmente na pedalada.

Nessa terceira fase do ato de pedalar, eles puxam a perna para cima, recomeçando todo o processo. Por isso, são muito desenvolvidos nesse momento.

Vale lembrar que tudo começa novamente ainda que o pedal chega ao topo do ciclo. Então há novo esforço dos quadríceps e o por aí vai.

Também vale lembrar que, na prática, cada lado do corpo trabalha um grupo muscular de cada vez: enquanto o lado esquerdo começa o ciclo com os quadríceps e vai até o quadril, o lado direito está fazendo o contrário. Esse movimento assimétrico é muito interessante de notar.

4. Core

Por fim, vale lembrar que um grupo muscular muito importante nesse processo de pedalada é o core, que é composto pelos músculos do abdômen e das costas. Essa musculatura é responsável pela “estrutura” do corpo, por assim dizer, sendo a essência do nosso corpo. 

O core é muito importante para a qualidade do nosso dia a dia pois é a musculatura central que sustenta o nosso peso. Se queremos correr, por exemplo, precisamos de uma boa força no core para ficar de pé. Se queremos fazer qualquer outra coisa, inclusive ter equilíbrio, dependendo de um core bem desenvolvido.

Na hora de pedalar, o core é vital para manter o corpo alinhado e recebe uma grande carga de estresse e força, sendo muito exigido. Na pedalada, nosso exercício fortalece o abdômen, todos os extensores que estão na coluna e chega até o comecinho dos ombros e braços, fortalecendo essa área toda, mesmo que marginalmente.

Pronto! Agora que você já viu quais são músculos mais trabalham pedalando, entendeu quais são os benefícios do ciclismo para a sua musculatura. É importante entender que, além do trabalho nesses músculos, ainda há o ganho natural da queima de calorias que um exercício aeróbico como esse proporciona. Ou seja, mesmo os músculos que não são necessariamente trabalhados no exercício vão se definir pela queima geral de gordura.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe-o com aquele amigo que quer começar a pedalar, mas nunca aceita seus convites!

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.