abril 12, 2021

As obras da estações remanescentes da linha 17-Ouro do monotrilho podem ser retomadas nos próximos dias. O governador João Doria deve assinar a ordem de serviço para a contratada Coesa Engenharia, dando início oficial ao prazo de execução para o término das obras.

A Coesa terá a incumbência de concluir as obras de sete estações (Chucri Zaidan, Vila Cordeiro, Campo Belo, Vereador José Diniz, Brooklin Paulista, Jardim Aeroporto e Aeroporto Congonhas), além do pátio Água Espraiada, que estavam sob responsabilidade da empresa Tiisa e suas sócias.

A empresa terá ainda que concluir o lançamento das vigas-trilho no pátio e sobretudo na Marginal Pinheiros.

O prazo total do contrato é de 36 meses (3 anos), porém, podem ser concluídos antes desse prazo, ou seja, entre 2022 e 2023.

Caso não tenha mais surpresas judiciais – já que o linha 17 sofre muito com isso – a nova linha de monotrilho deverá ser entregue em 2023 para a população.

Os 14 trens estão sendo fabricados pela BYD, após outro embate na justiça, o que dará para que a linha 17 possa abrir, mesmo que seja parcialmente.

Após entregue, a linha 17-Ouro será operada e administrada pela concessionária ViaMobilidade, até lá, as obras são de responsabilidade do Metrô de São Paulo.

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Igor Roberto

Paulistano, empreendedor e pai. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana, transporte público e cinema. É o criador do site Rede Noticiando. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@noticiando.net
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.