maio 18, 2021

Uma nova greve dos caminhoneiros deve acontecer nesta segunda-feira, 1° de fevereiro de 2021. Caso ocorra, a greve pode ser por tempo indeterminado.

A decisão de realizar uma nova greve dos caminhoneiros foi divulgada em 15 de dezembro de 2020, durante uma assembleia extraordinária do CNTRC – Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas. O grupo é formado por mais de 40 mil caminhoneiros só no Estado de São Paulo é tem afiliados em outros estados.

Os caminhoneiros reivindicam melhores condições de trabalho e são contra o aumento no preço do óleo diesel, o marco regulatório do transporte marítimo, o chamado BR do Mar, e anda, pendem aposentadoria especial.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a pedir publicamente para que os caminhoneiros não realizem greve, e que o governo estuda alternativas para reduzir o PIS/COFINS e, que por consequência, diminuiria o preço do diesel.

“Fiz apelo aos caminhoneiros. Sabemos dos problemas deles. Se tivesse condições, zeraria PIS/COFINS óleo diesel, que está em R$ 0,33, mas vamos tentar zerar pelo menos, mas não é fácil”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro falou que “foi em cima da Petrobras”. Disse que ouviu do presidente da empresa, Roberto Castello Branco, que a cotação acompanha o valor internacional e que a gasolina interna é mais barata dos Brics (Brasil, Rússia, India e China). “Fui em cima da Petrobras, mas não interferimos política de preços”, disse, acrescentando que, em seguida, pediu redução de PIS/Cofins à Receita, mas que entendeu que não tem como. “É vestir um santo e cobrir outro”.

O presidente do CNTRC, Plínio Dias, informou que a orientação para a greve dos caminhoneiros é que as vias não sejam totalmente interditas e que os ônibus, caminhões com insumos hospitalares e os com carga viva tenham livre passagem.

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que seja garantida a distribuição de óleo diesel aos ônibus da capital paulista, mesmo com a possível greve dos caminhoneiros.

A decisão é da juíza plantonista Lígia Dal Colleto Bueno que atendeu a uma ação movida pelo SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo).

Em caso de descumprimento da medida, a Febrabens (Federação dos Caminhoneiros Autônomos de Carga em Geral do Estado de São Paulo) fica sujeita a pagar uma multa de R$ 100 mil.

A Justiça Federal do Rio de Janeiro tenta proibir que os caminhoneiros obstruam, mesmo que parcialmente, a BR-101 e de praticar atos que prejudiquem o tráfego de veículos nas vias.

Os caminhoneiros se sentem “traídos pelo presidente Jair Bolsonaro” e a situação “explodiu” com a alta de 4,4% no óleo diesel autorizada pela Petrobras nas refinarias.

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Igor Roberto

Paulistano, empreendedor e pai. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana, transporte público e cinema. É o criador do site Rede Noticiando. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@noticiando.net
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.