Há quase 10 anos que cerca de 120 famílias aguardam por casa própria que foi prometida pelo governo de São Paulo após serem desapropriadas de terrenos da favela do Buraco Quente e do Comando, na Zona Sul da capital, para obras da Linha 17-Ouro do monotrilho.

O monotrilho deveria ter sido entregue na Copa Do Mundo do Brasil em 2014 e foi orçada em R$ 4 bilhões.

O terrenos murado tem quase 3 mil metros quadrados e fica às margens da Avenida Washington Luís.

Há 9 anos, época da desapropriação, os moradores podiam optar pelo recebimento de uma indenização em dinheiro ou pelo auxílio-aluguel até a entrega do conjunto habitacional.

Ex-moradores da favela lamentam a demora na entrega das novas residências prometidas por meio da CDHU. Alguns ainda recebem auxílio-aluguel, no valor de R$ 790, outro já não tem a mesma sorte e acabaram ocupando outros espaços.

A CDHU disse que não teve nenhum atraso no pagamento do auxílio-aluguel. Sobre o atraso na construção do conjunto habitacional, disse que em só concluiu o processo de desapropriação em março do ano passado e assumiu a posse do terreno.

No caso da Linha 17-Ouro, o governo de São Paulo espera entregar, pelo menos de forma parcial, o ramal até o final de 2022.

*Com informações do G1

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Igor Roberto

Paulistano, empreendedor e pai. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana, transporte público e cinema. É o criador do site Rede Noticiando. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@noticiando.net
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.