Você sabia que uma pesquisa realizada pelo Linkedin Brasil revelou que somente 27% da população brasileira realmente se engaja com os seus trabalhos? 

Além disso, a pesquisa também aponta que mais de 30 milhões de pessoas em todo o território nacional sofrem com a Síndrome do Esgotamento Profissional, problema que vem sendo cada vez mais conhecido e estudado. 

Estes novos dados descobertos ajudam a criar um panorama mais claro e próximo da realidade do que é trabalhar em empresas que não possuem nenhuma diretriz que busque tratar da felicidade corporativa.

Como o próprio nome já sugere, a chamada felicidade corporativa tem como principal objetivo a criação de um ambiente de trabalho que seja acolhedor, empático e com o foco no bem-estar dos funcionários.

E é claro que iniciativas como essa podem muito bem manter, ao mesmo tempo, o perfil desafiador e criativo de qualquer empresa.

A percepção das empresas sobre a responsabilidade de oferecer espaços que estimulem a saúde física e mental de seus funcionários vem aumentando.

Bem como a noção de que procedimentos que visam tal bem-estar no ambiente corporativo influenciam na produtividade e assertividade das ações que precisam ser feitas.

Quanto a isso, as pesquisas e dados são os maiores fundamentadores dessa necessidade do desenvolvimento de um ambiente corporativo preocupado com a felicidade e saúde dos funcionários e colaboradores. 

Mais do que depoimentos e análises qualitativas, trata-se de resultado numérico notório.

Além do estudo feito pelo Linkedin Brasil, é sabido que 70% da população economicamente ativa do país sofre de estresse ou algum outro sintoma proveniente das condições relativas ao seu trabalho.

Isso sem contar que, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 30% da população mundial sofre de ansiedade, estresse ou depressão.

O que torna essencial uma visão mais cuidadosa sobre o assunto e que, diante de dúvidas corporativas, utilize de dados e informações para corroborar os vários benefícios existentes a serem alcançados.

Quais são os benefícios da felicidade corporativa?

1. Diminuição da rotatividade de funcionários e retenção de talentos

Todos conhecemos alguém que por mais que ame o que faz profissionalmente e tenha seu talento reconhecido, deixou de trabalhar na empresa por não estar feliz com as condições de trabalho. 

A felicidade, o bem-estar, o conforto e o reconhecimento tornaram-se pontos chave da permanência de funcionários nos últimos anos. 

Esta relação entre os profissionais e as empresas que trabalham tendem a ficar cada vez mais estreitas e com a necessidade de atribuições de responsabilidades mais justas e reais. 

As pessoas estão procurando por ocupações e instituições que consigam atingir seus níveis de exigência, sendo crucial para a sua estadia e continuidade de trabalho.

Então, se uma empresa não quer sofrer com pedidos de demissão repentinos frequentemente e deseja fortalecer as relações entre funcionários e entre empresa e empregados, basta começar a pensar e fazer o melhor nas condições de trabalho. 

2. Produtividade e assertividade de ações

Como já foi pré-anunciado antes, a produtividade e a assertividade são vantagens claras que fazem total diferença para o desempenho geral.

Este benefício está diretamente relacionado com o item anterior da lista, já que a retenção de talentos e a diminuição da rotatividade de funcionários em uma empresa, culminam nesses dois fatores. 

A Universidade da Califórnia realizou uma pesquisa que identificou que um funcionário feliz é mais de 30% mais produtivo, três vezes mais criativo e pode conseguir vender quase 40% a mais.

E isso pensando em um só prestador de serviço, imagine o resultado em se tratando de dezenas ou centenas de funcionários. Todos, vivendo diariamente em um ambiente mais receptivo, compreensivo, inclusivo e, sobretudo, positivo. 

Por mais que esta relação entre felicidade e produtividade pareça um tanto quanto óbvia, ela só começou a ser percebida pelos gestores, CEOs e diretores nos últimos anos e isso, diante de números expressivos impossíveis de se ignorar. 

Apostar na felicidade dos profissionais que fazem o seu negócio crescer é cada vez mais essencial, já que a eficiência dos funcionários reflete diretamente nos resultados e progresso da empresa como um todo. 

3. Melhora da imagem da empresa

Sabe aqueles rankings que listam as empresas que são consideradas as mais requisitadas para trabalhar? 

Estas instituições são, por consequência, as que mais investem em infraestrutura, bonificação, reconhecimento e felicidade para seus funcionários. 

Os relatos de antigos ou atuais colaboradores é um parâmetro muito seguido para talentos que desejam entrar no mercado de trabalho.

É através desse boca a boca e de indicadores pré-estabelecidos que uma empresa começa a melhorar a sua imagem e se torna referência no mercado. 

Os profissionais, muitas vezes, passam mais tempo no ambiente de trabalho do que em suas próprias casas, se relacionando mais com seus colegas do que com sua família durante a semana. 

Tudo isso precisa ser levado em consideração na hora de estabelecer diretrizes de felicidade corporativa e melhorar a imagem da empresa.

E claro que nada disso trata de mera aparência. As pessoas, enquanto funcionários, sabem reconhecer quando determinada medida é pensando no seu bem ou somente por demagogia.

Por isso é preciso ser o mais transparente possível e verdadeiramente cordial em relação à felicidade corporativa.

4. Aumento do engajamento e participação dos funcionários

Quando as pessoas se sentem bem no ambiente, a tendência é que elas queiram passar mais tempo ali, interagindo com mais facilidade e, consequentemente, se engajando nos eventos e atividades propostos pela empresa. 

É comum que a dedicação do funcionário cresça e que isso influencie toda a cadeia de colaboradores.

A famosa concepção de profissionais que vestem a camisa da empresa e que acabam por tornar-se promotores da marca ou do negócio que trabalham, acontece naturalmente nestas situações. 

Aumenta a proatividade, o engajamento, a participação ativa e o comprometimento dos funcionários que não querem perder suas posições em empresas que se importam e fazem esforços para promover o melhor.

Como colocar o conceito em prática?

A felicidade corporativa é alcançada por meio de algumas medidas.

Como foco na ergonomia, nos exercícios laborais, na atualização da infraestrutura, na contratação de uma empresa de medicina ocupacional e na criação de um ambiente com comunicação aberta e empática, por exemplo.

A dica é a de buscar auxílio em consultorias, empresas especializadas e análises feitas tanto pelos próprios funcionários como por terceiros com qualidade profissional para tal.

Alterar as diretrizes e adaptar os espaços físicos é uma tarefa que pode ser fácil e rápida com a ajuda específica e direcionada aos pontos chaves desta transformação.

Portanto, se disponha a ouvir seus colaboradores, faça pesquisas de satisfação e opinião, contrate profissionais para realizar análises do ambiente e, desde o começo, promova um clima de satisfação, leveza e contentamento.

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Redação Noticiando

Equipe responsável pela produção de conteúdo do site Rede Noticiando.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.