O ex-governador Geraldo Alckmin sugeriu que o Estado pudesse estudar uma eventual relicitação da linha 18-Bronze, hoje cancelada, que ligaria o Grande ABC à Capital por meio de um monotrilho.

Durante uma entrevista ao Diário do Grande ABC, Alckmin considerou que a região não pode ficar fora da rede, tendo em vista o potencial das sete cidades.

“Esse projeto é necessário. Isso poderia ser relicitado, não tenho detalhes da decisão (de extinguir o acordo), mas é natural que região tão populosa, tão importante quanto o Grande ABC, tenha ligação pelo sistema metroviário”, disse o tucano.

Alckmin é considerado o “pai do monotrilho no ABC”, já que foi ele quem assinou o contrato de Parceria Público-Privada (PPP) em 2014 para a construção da linha 18, ao custo inicial de R$ 4,2 bilhões. O Estado, à época, não concretizou engenharia financeira para bancar as desapropriações – algo em torno de R$ 600 milhões. Mesmo três anos e meio depois, ao deixar o posto, ele não consolidou o plano.

Em julho de 2019, o atual governador e afilhado politico de Alckmin, João Doria, rasgou sua promessa de tirar do papel a linha 18-Bronze cancelando o projeto e propondo como alternativa um corredor de ônibus rápido do tipo BRT (Bus Rapid Transit) que se quer tem algum projeto concreto apresentado. Além disso, Doria prometeu levar uma linha de “metrô convencional” ao ABC, a linha 20-Rosa, que não deve sair do papel – pelo menos nessa gestão.

A chegada do Metrô ao Grande ABC é promessa antiga, esticada há, pelo menos, 45 anos. Questionado pela reportagem sobre a hipótese de o BRT suprir a demanda por transporte de alta capacidade na região, Alckmin manteve a posição, insistindo na tese de retomar o monotrilho, sem desconsiderar a possibilidade de também incluir projeto de corredores de ônibus. “Os corredores são importantes. Eles não competem, se complementam. Deve ser feito BRT, corredores, dar prioridade ao coletivo, ajuda a população a ter deslocamento mais rápido, mas o foco na questão do trilho, do monotrilho, deve continuar.”

O Estado reservou R$ 20 para a Linha 20 e ao BRT no orçamento de 2021 – o valor é considerado apenas simbólico na peça para eventual aporte. A Linha 20 se encontra em fase preliminar, de projeto funcional e estudo de solo do trajeto. Previsões extraoficiais indicam que, se sair do papel, o projeto, que ligaria a Estação de Santo André à Lapa, em São Paulo, beira meados de 2030. Para o BRT, por sua vez, não foi dado passos iniciais, a despeito de o volume de investimento cair para cerca de R$ 680 milhões.

Siga o Rede Noticiando

Nos acompanhe em nossas redes sociais e tenha acesso a todo nosso conteúdo.

Quer receber nossas matérias em primeira mão? Assine nosso canal no Telegram.

A serviço da informação!

Igor Roberto

Paulistano, empreendedor e pai. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana, transporte público e cinema. É o criador do site Rede Noticiando. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@noticiando.net
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.