A vila de Paranapiacaba, no alto da Serra do Mar, foi implantada a partir de 1860 para os trabalhadores da companhia São Paulo Railway, que construiu a linha ferroviária entre as cidades de Santos e Jundiaí.

Tem características urbanísticas e arquitetônicas marcantes, com influências inglesas. A parte alta da vila se desenvolveu para comércio e serviços. A parte baixa era residencial, destinada aos funcionários da ferrovia.

Oficina ferroviária (Foto: Alexandre G. Melo)

O conjunto ferroviário do local é patrimônio tombado (protegido), desde 1987, pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O tombamento incluiu a vila ferroviária, a parte alta, a ferrovia e seus equipamentos, a paisagem e ambiente da Serra do Mar, com cabeceiras de rios.

A vila é núcleo turístico do município de Santo André. Uma das edificações abriga o Museu Tecnológico Ferroviário (Museu do Funicular) e a linha turística Trem dos Ingleses, aos cuidados da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – Regional São Paulo. A antiga casa de engenheiro abriga o Museu Castelo.

Como chegar?

De carro (do centro de São Paulo, cerca de 50 km de percurso em 1 hora): Rodovia Anchieta, sentido Riacho Grande pela pista marginal até o km 29 – Estrada Velha do Mar, sentido Ribeirão Pires – Rodovia Índio Tibiriçá até o km 45 – Rodovia Antônio Adib Chammas até Paranapiacaba.

De ônibus: Linha 040 (Viação Ribeirão Pires) do Terminal Rodoviário de Santo André até Paranapiacaba.

De trem e ônibus: Linha 10-Turquesa da CPTM até a Estação Rio Grande da Serra e ônibus da linha 424 (Viação Ribeirão Pires) até Paranapiacaba.

De trem turístico: Expresso Turístico da CPTM.

Dayane Priscila

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Viciada em livros; Nerd; Fotógrafa aspirante; Amante de astronomia;
Siga-me:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.