Olá amigo leitor, neste texto damos início a um pouco da história da Estação Raiz da Serra, inaugurada em 1867, a São Paulo Railway (SPR) ou também chamada de “Ingleza” foi a primeira estrada de ferro construída em solo paulista ligando Jundiaí a Santos, transportou durante muitos anos – até a década de 30, quando a Sorocabana abriu a Mairinque-Santos – o café e outras mercadorias, além de passageiros de forma monopolística do interior para o porto, sendo um verdadeiro funil que atravessava a cidade de São Paulo de norte a sul, a Estação de Raiz da Serra, com o nome se contrapondo à Estação de Alto da Serra (hoje Paranapiacaba), foi aberta em 1867 para ser a estação de partida da subida da serra, pela linha da “serra velha“, ou seja, a original.

Continuou sendo utilizada por muito tempo, pois a “serra velha” era a que transportava passageiros, tanto na época dos cabos quanto depois, com a cremalheira substituindo os velhos cabos da serra, construída em 1891, conforme data no dístico do prédio.

Na década de 40, com o fim da concessão, a estação passou a ser da União sob o nome E. F. Santos-Jundiaí (EFSJ), mas nos anos 70 pertenceu a à REFESA e por fim, em 1997 foi entregue a MRS Logística S.A. O trecho Jundiaí – Paranapiacaba (Jundiaí – Luz da Linha 7-Rubi e Brás e Rio Grande da Serra da Linha 10-Turquesa) é realizado atualmente pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Foto: Wellington Ribeiro Borges

Descida da locobreque pela via com cremalheira, junto à estação ferroviária da Raiz da Serra (Cubatão/SP)

Após anos ela foi fechada e abandonada, a Estação de Raiz da Serra chegou se restaurada pela MRS (MRS Logística S.A) em 2004, porém 4 anos depois, já apresentava sinais de deterioração e de invasão.

Dayane Priscila

Estudante de Desenvolvimento de Sistemas. Mini bibliotecária (Tributo, Semi-deusa, selecionada). Fotógrafa aspirante e amante de astronomia.
Siga-me:

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.